Tricolor, Campeão Paulista de 1989

Um regulamento confuso.

 

22 equipes divididas em 2 grupos com 11 integrantes.

 

As três melhores classificadas de cada grupo, mais as seis equipes com melhores campanhas passavam para a fase seguinte, ao todo, 12.

 

O tricolor não começou bem.

 

Logo na sétima rodada, após um empate sem gols em pleno Morumbi, frente a fraca equipe da Catanduvense, o técnico Cilinho foi mandado embora.

 

Era o fim da era de um dos grandes técnicos da história do São Paulo, reconhecido por revelar grandes jogadores, tais como Muller, Silas e Sidney.

 

Em seu lugar, interinamente, assumiu Pupo Gimenes.

 

Logo viria Carlos Alberto Silva, que enfim colocou o time em rumo.

 

Em campo, um dos destaques era Bobô, meio atacante que tinha sido campeão brasileiro pelo Bahia no começo do ano, ainda pela disputa de 1988.

 

Durante a primeira fase da competição a grande equipe foi o Palmeiras.

 

Acabou invicto com 13 vitórias em 21 partidas.

 

Já o nosso Tricolor ficou com a segunda vaga dentre os seis de melhor campanha, com nove vitórias, oito empates e quatro derrotas.

 

Na fase seguinte, as 12 equipes foram divididas em 4 grupo de três.

 

Apenas o vencedor passaria para as Semifinais.

 

Pois neste momento, os grandes se revelaram.

 

O invicto Palmeiras caiu frente ao novato Bragantino, após uma incontestável goleada de 3 a 0.

 

O São Paulo passou com autoridade por cima do Guarani e Internacional de Limeira

 

Nas Semifinais, o Tricolor fez o que qualquer equipe grande faria.

 

Passou por cima do Bragantino, com duas vitórias, por 2 a 0 e 1 a 0.

 

E ficamos esperando alguém na final…

 

Pois o São José passou por cima do Corinthians com direito a uma goleada por 3 a 0.

 

E lá fomos nós, enfrentar a equipe do Vale do Paraíba.

 

Foram dois jogos duros, mas time grande deve se impor, sempre.

 

Vencemos a primeira partida por 1 a 0 e um empate sem gol na partida final nos deu o título paulista de 1989.

 

Em 2 de julho de 1989, nosso tricolor conquistou o título sob o comando de Carlos Alberto Silva, com Gilmar; Zé Teodoro, Adílson, Ricardo Rocha e Nelsinho; Vizolli, Bobô, depois Benê e Raí; Mário Tilico, Ney, depois e Edivaldo.

 

Por: José Renato Santiago

Anúncios

107 comentários

  1. No Poster: Adilson, Gilmar, Vizolli, Ricardo Rocha, Nelsinho e Zé Teodoro; agachados, Mário Tilico, Nei, Raí e Edivaldo. Ainda tinha um meia o Paulo Cesar, muito habilidoso, sua técnica era comparada a do Pita. Não vingou devido a sua displicência.

    Curtir

    • Acabei pulando o Bobô. Mas o Paulo César enfeitava demais o pavão, muita filigrana, deixava de fazer uma assistência, pra dar mais um drible, a torcida ia a loucura.

      Curtir

    • No Poster: Adilson, Gilmar, Vizolli, Ricardo Rocha, Nelsinho e Zé Teodoro; agachados, Mário Tilico, Nei, Raí e Edivaldo. Ainda tinha um meia o Paulo Cesar
      Vendo time acima, ai pensamos que diferença faz um técnico decente e uma estrutura por trás do time que realmente funcione, comissão técnica, médicos, diretoria que sabia planejar.
      Vendo com calma, quem efetivamente era craque acima?
      Gilmar um bom goleiro nota 7 como diz o Milton Neves
      Adilson era grosso, nota 5.
      Vizolli era reserva
      Ricardo Rocha grande zagueiro
      Nelsinho era um LE muito grosso de bola, se destacava porque nao tinha ninguém melhor.
      Zé Teodoro – bom jogador
      Nei – nem lembrava desse, nem pelo lado bom quanto pelo ruim
      Raí – que me lembre em 1989 ainda nao era o craquasso de depois, memória pode ter falhado e posso estar errado.
      Mario Tilico – era o amuleto que entrava no segundo tempo e fazia uns gols baseado na correria
      Edivaldo – era ponta? Não lembro

      Resumindo, pega a escalaçao de HOJE, do time no Z4, com Sidão, Rodrigo Caio, Hernanes, Pratto, Brenner e no PAPEL, é mais time do que esse que foi campeão.

      Que coisa….

      Curtir

  2. Houve um tempo em que não perdíamos para “pequenos” …, principalmente em jogos decisivos.

    Agora somos a festa para Bragantino, Ponte Preta, Penapolense e tantos outros anões.

    E nem de longe a culpa é do “último ” técnico …, e alguns funcionarios como alguns insistem em afirmar.

    Curtir

  3. Fui na final no Morumbi com meu pai 91 mil pessoas e eu tinha 10 anos de idade, foi a minha primeira final. Esse time base ficou na minha memória. Gilmar era um goleiro seguro, mas nada fenomenal. Zé Teodoro e Nelsinho eram bons laterais, apoiavam bastante no ataque. A zaga com Adilson e Ricardo Rocha era excelente, dois ótimos jogadores, o primeiro era discreto e eficiente, o segundo era um líder. Flávio, um volante arroz com feijão. Bobô se encontrando no clube depois de vir do Bahia campeão em 88 onde era o dono do time. Raí começando a despontar como dono do nosso meio campo, futuro craque e ídolo, Nei era ao centroavante, pra mim o ponto fraco do time. Mário Tilico ponta direita, rápido pra caramba, dava muito trabalho nos contra ataques, e o finado ponta esquerda Edivaldo jogava demais.

    Desse título em diante, com exceção de 1990 quando o mestre Telê estava chegando e tomando conta da casa, foram anos de alegria imensa.

    Que saudade, isso era São Paulo FC, senhor presidente dos 27 mil por mês…

    Curtido por 1 pessoa

  4. Domingo vai ser o jogo dos esfarrapados. Dois times em estado de penúria.
    Por incrível que pareça acho que chegamos “mais inteiros” para esse jogo e temos que fazer de tudo para ganhar esse jogo.
    O Parmera está só o caco.

    Curtir

  5. Bom prenúncio para domingo. Hoje faz 30 anos da “falha” do Zetti a favor do SPFC ( na época, já tinha previsão do seu futuro).Chegamos na final. Domingo, o profeta vai remontar esta cena. Venceremos.

    Curtir

  6. Eu não sei por que a imprensa e os torcedores tão fazendo tanta pressão no Cuca e nas pepas.O elenco dos caras é muito super estimado.Quem de craque tem lá????Time ta na média, só por que tem trossentos jogadores médios???Ano passado quem fez a diferença pra eles foi o Gabriel de Jesus(que foi uma espécie de Neymar pra eles naquele momento) e o tal de Vitor Hugo que cansou de fazer gols e dar casquinhas em jogos que estavam complicados.Da pra ganhar sim,só não pipocar, time das pepas e time na média do futebol brasileiro,os caras vivem no mundo da lua com essa cobrança..,,

    Curtir

    • A imprensa é curintiana, e os torcedores rivais caem na lábia direitinho. Plantam notícias, criam expectativas, levantam só para derrubar depois.
      A porcada caiu no conto direitinho, acreditando cegamente que eram o Real Madrid das Américas kkk
      O meu pai é palmeirense, e converso bastante com ele sobre futebol, e uma das coisas que ele me disse desde o começo do ano era de que não acreditava em nada do que a imprensa vinha dizendo.
      Time que tem Michel Bastos, Edu Dracena, Zé Roberto não é candidato a nada.
      Contrataram uns 30 jogadores para ver se uns 6 resolviam … essa foi a tática do tal de Matos lá, igual fez no Cruzeiro … não deu e eu achei ótimo!!!

      Curtir

  7. Esse time com laterais fracos no apoio e na defesa, meio de campo frouxo na contenção e pouco criativo, ataque sem poder de fogo e goleiro sem confiança. Pra domingo resta só a esperança de o Hernanes acertar aqueles seus chutes venenosos.

    Curtir

  8. Esses caras que babam o ovo para TUDO do passado são risiveis, tivemos coisas muito boas mas nao TUDO, Gilmar era um goleiro normal, assim como Denis seria se tivesse SORTE, como eu comparei acima, nao disse que eram iguais.

    Curtir

  9. Moro em Santos e eu tinha 12 anos nessa final. Meu pai me levou para o Morumbi pela primeira vez na minha vida e não esqueço o sofrimento. Foi um 0x0 com uma bola na trave do São Paulo. Eu estava logo atras do gol e tirei essa bola com os olhos. No final fomos campões mas foi um pouco frustante por não ver meu time pela primeira vez fazer um gol. Demorei 3 anos pra voltar ao Morumbi, mas quando voltei foi na final da libertadores de 1992 e aí tudo foi diferente.

    Curtir

  10. Caras,

    Estava repensando o jogo de domingo.

    Não foi tão péssimo assim. Serviu para mostrar algumas coisas.

    Hernanes teve com quem tabelar com a aproximação do Cueva e Jucilei e as vezes Marcos G.

    Tivemos triangulações, ao menos no primeiro tempo, no lado direito, com Buffarini, MG e Jucilei fazendo boas tramas. Fazia tempo que não via umas triangulações por ali e sairam.

    Lado direito sai menos, pq o Cueva tem um instinto de querer definir a jogada. Segura demais o lance pq quer dar o tapa final. Se ele fosse um pouco mais dinâmico no toque, as coisas poderiam fluir melhor por aquele lado.

    Petros foi bem ali.

    Enfim, acho que com mais essa semana, pode ser que o Dorival acerte mais alguma coisa.

    Não é o que precisamos para nos livrarmos. Mas não é tão horrível assim.
    O importante é a cada jogo melhorar em algo. Não existe toque de mágica. Vai ser demorado e sofrido.
    Vamos com fé.

    Curtir

  11. Olhem que interessante…
    Deste título de 89, eu me lembro que foi o mais “feinho” que vencemos na década de 80.
    o SP foi apenas regular na Fase Classificatória, não vencemos nem um clássico aquele ano,
    e só arrancamos mesmo graças ao trabalho do finado Carlos Alberto Silva, à garra e
    liderança de um Ricardo Rocha, graças a um incansável Zé Teodoro e à estrela de um
    Mario Tilico. Raí era apenas, ainda, o irmão mais novo do Doutor, com lampejos e alguns gols
    e jogadas de craque, aqui e ali, mas ainda desligadão e instável. E ainda havia Edvaldo, ponta
    que veio do Galo e brilhara principalmente entre 87 e 89, tragicamente falecido em um acidente automobilístico.
    Em um jogo que precisávamos ganhar contra o Guarani, em Campinas, que se iniciou nossa
    arrancada ao título. Mario Tilico foi o grande nome nessa arrancada. Depois passamos por
    Bragantino, e na final o São José.
    Título era sempre bom, e esse time, apesar de não ser brilhante como os outros daquela década,
    era brioso e unido.

    Que é o que precisamos hoje: brio, união e melhorar no aspecto psicológico.
    Eu acredito!!!
    Vai São Paulo.

    #GiganteNãoCai

    Curtir

    • Geral pede um post sem tema político e quando aparece um, daí começam a tretar…

      SP precisa ganhar da Crefisa e engatar na sequencia mais uma vitória porque senão a galera se estressa de vez…

      Qualquer post vira treta…

      Curtir

      • Nelson, é a falta de jeito ao dialogar… se vc expõe a sua opinião, chega outro com os dois pés no peito querendo que vc pense como ele, senão ele leva para o lado da ofensa etc…

        Simples, para mim o Gilmar não foi essas coisas, como para vc tbm… mas os caras chegam querendo impor na porrada de que ele era o goleirão, o gigante debaixo das traves…

        Curtir

        • Sim…

          E no meu primeiro coment que já virou polêmica, eu só quis comparar a defesa daquele time com o atual onde acho aquele melhor (principalmente o miolo de zaga)… só isso… questão de gosto e de ponto de vista… é só uma opinião e estou aí pra discutir numa boa… eu gosto até… só que aí descamba para as verdades absolutas onde já chegam como você bem ilustrou “com os dois pés no peito”, daí já desanima…

          Se fosse sobre um time mais antigo onde eu não pude acompanhar por motivos óbvios, eu gosto tbm porque fico lendo o que as pessoas achavam sob a ótica delas e fico viajando… cara, acho o máximo!!

          Não ligo para posts políticos, porque não posso contribuir com nada, já que não entendo do assunto, mas jamais vou reclamar, pois o blog sempre propôs o tema… o que fico de cara é nego pedir pra diminuir e falar de futebol, daí acontece, mas não muda nada!!! Os mesmos que pedem são os que bagunçam o post…

          Não aproveitam quando tem a oportunidade, então poderiam deixar quem quer discutir numa boa…

          Curtir

            • Tranquilo Marcio, normalmente eu passo direto quando isso acontece… só que tem hora que sai um desabafo…

              Lembrando que não quero ditar o ritmo do blog ou das pessoas, longe disso!! Sou muito tranquilo quanto a isso, não sou o dono da verdade e se o comportamento não mudar, tanto faz… até porque pode ser eu a estar errado e não enxergando… enfim…

              Estamos aí com o SP sempre acima de tudo!!

              Curtir

  12. Na minha opinião o Gilmar sempre foi um jogador comum… não estou dizendo que era ruim, mas tbm não era um dos destaques do time.
    Ah, mas foi para a seleção… foi, mas numa época em que tínhamos poucos goleiros bons. Além disso, o que ele conseguiu em termos de seleção? Ser reserva? Ou reserva do reserva?

    Não o coloco como destaque e nem o escalo numa seleção dos melhores do tricolor de todos os tempos… fica perto do décimo lugar, nesse quesito. Jogou em bons times do SPFC e isso o ajudou bastante.

    Mas é apenas a minha opinião.

    Curtido por 1 pessoa

    • Taí um comentário que eu concordo… tirando o fato do RC ter tido um diferencial inigualável com os gols que fez, e isso ninguém pode contestar, como goleiro, debaixo das traves, sempre o achei comum. O Marcos dos porcos sempre foi muito mais goleiro do que ele, jogando no gol…

      Mas é apenas uma opinião, grande parte do pessoal pensa o contrário…

      Para mim, Zetti foi muuuuuuuuiiitttoooo mais goleiro do que ele.

      Curtido por 1 pessoa

      • Concordo totalmente com você Márcio, mas como vc é o moderador talvez a galera pegue leve, aí se sou eu que faço um comentário desses, “o mito de muitos”, somos até ridicularizados por muitos por se usar esse termo “mito”, acho que eu era crucificado aqui no blog.

        Como dizia o Murici “o torcedor não sabe 20% do que rola no ambiente de um time”…….

        Talvez muitos teriam muitas decepções…

        Abraços…

        Curtir

        • Não, sua avaliação está errada, mesmo pq o ftricolor tbm está falando sobre o que ele pensa do RC como jogador e ninguém o está ofendendo…

          Ocorre que vc exagera nas suas colocações e assim fica desacreditado como uma pessoa que dá uma mesma opinião “N” vzs e fica marcado como um troll…

          Vc pegou no pé do RC de forma sistemática, repetitiva e chata. Até eu que, sabidamente não gosto do RC, me enchia das suas repetidas perseguições… imagine o cara que gosta dele.

          Passou o RC e agora vc fica no disco riscado com o Leco e cia ltda… defende, defende, defende tanto, até perder a credibilidade com a sua opinião. Torna-se chato, inconveniente até.
          As pessoas pegaram no seu pé ontem quando o chamavam de Leco etc, sabe pq? Pq vc exagera, quer impor sua opinião na base da repetição e isso é chato demais.

          Fora os pitis chamando o blog de ditadura… coisa mais sem sentido…

          Essa é a diferença…

          Curtido por 2 pessoas

      • Concordo com a análise da técnica embaixo das traves.
        Não por outra razão era a terceira opção na seleção.
        Estava entre os grandes da época, quando estava no auge, mas não era unanimidade nem entre os torcedores.
        Sempre teve aquela mania irritante de ajoelhar em jogadas cara a cara, ao invés de atacar a bola e o atacante.

        Mas, no geral, pra mim é uma das grandes figuras do SPFC.
        E por mais que eu ache que ele errou ao demorar pra parar, que errou ao assumir o time como técnico e que tenha se manifestado de forma infeliz em várias oportunidades, o que eu sinto é sempre gratidão pelas alegrias que passei em razão do seu trabalho.

        Curtir

      • Não acho que o RC foi comum debaixo das traves. Pra mim foi tão bom quanto Marcos e Zetti e melhor na distribuição de jogo com os pés. Entre os 3 escolheria ele, sem pestanejar por ser no meu ponto de vista o mais completo.

        Curtir

        • Foi o que eu disse… é apenas a minha opinião e eu continuo com ela, pois para mim, debaixo das traves o RC era bem comum e sem comparação com os outros dois.

          Apenas uma forma diferente de análise.

          Curtir

          • É questão de opinião pessoal mesmo.

            Gilmar Rinaldi por exemplo, pra mim era um goleiro comum, e por ser comum nunca teve atuações épicas como algumas que o RC teve, muito menos as conquistas profissionais.

            RC pra mim foi um goleiraço em todos os aspectos e acho que muitos comentários contrários a isso levam em conta o extracampo, a falta de carisma e personalidade dele (não tô dizendo que é o seu caso, mas de muitos comentaristas esportivos)

            Curtir

  13. Não me lembro exatamente deste time jogando, pois era muito novo, tinha só 6 anos, mas foi treinado por um grande técnico do futebol brasileiro, que não teve em vida o reconhecimento merecido que foi o Carlos Alberto Silva…
    E para quem já torcia na época, pq o Bobô não deu certo no São Paulo se era um craque de bola?
    E novamente, parabéns ao José Renato pela coluna!!!

    Curtir

Comente aqui, Tricolor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s