O Indomável Serginho Chulapa no São Paulo

Sergio Bernardino nasceu no bairro da Casa Verde, na cidade de São Paulo em 23 de dezembro de 1953. Filho do meio do casal Otávio Bernardino e Laura. Juntamente com os irmãos Zé Carlos e Sônia, Serginho começou a trabalhar cedo para ajudar com as despesas de casa. Inicialmente como entregador de leite, posteriormente, ajudando a mãe em uma confecção.

Palmeirense durante a infância, o menino adorava bater uma bola, e chegou a atuar em várias equipes de várzea da zona norte paulistana. Negro, magro e alto, só chutava com o pé esquerdo, por conta disso passou a ser conhecido como Esquerdinha.

Após ter dois de seus amigos inseparáveis mortos em confronto com a polícia, passou a enxergar o futebol como uma forma de seguir outro caminho. Ainda assim, após ser reprovado em testes no Palmeiras e Portuguesa, resolveu que iria trabalhar na Telesp, atual Telefonica. Poucos dias antes, no entanto, ainda com 16 anos, juntamente com um amigo, Mauro Madureira, resolveu fazer uma peneira no São Paulo, no bairro do Bom Retiro. Naquele dia, chamou a atenção do treinador da categoria de base tricolor e ex-goleiro, José Poy. Foi convidado a treinar no clube.

Seu começo no São Paulo não foi fácil. Sob o comando do técnico Telê Santana chegou a realizar algumas partidas na equipe profissional. Sua estreia aconteceu em 6 de junho de 1973, como Sergio II, por conta do goleiro tricolor se chamar Sergio, na verdade, Sergio Valentim, no empate sem gols frente ao Bahia, em partida amistosa realizada em Salvador. Jogando como ponta, não convencia e por mais que tenha feito um gol, no empate frente ao Corinthians por 1 a 1, logo em sua segunda partida, em 10 de junho, acabou sendo emprestado para o Marilia.

Na “capital brasileira do alimento”, jogou pouco, mas foi lá que aconteceu um fato que chegou a ter influencia em sua carreira, a gravidez de uma namorada. Ameaçado de morte pelo pai da moça, um delegado de polícia, o jeito foi voltar ao Tricolor e desde então evitar, ao máximo, voltar para Marília, nem que para isso fosse necessário simular contusões ou provocar expulsões. Certa vez ao notar que Serginho estava reclamando demais de suas marcações, o arbitro Dulcídio Wanderley Boschilia, logo se ligou que o atacante estava tentando forçar sua exclusão da próxima partida do São Paulo. Dulcídio o chamou de lado e falou: “….negão, você pode até matar alguém aqui hoje, que eu não te expulso.” Preocupado, restou a Serginho simular uma contusão no finalzinho da partida.

De volta ao São Paulo em 1974, desta vez tendo Poy, seu descobridor, como técnico, logo em sua segunda partida após o retorno, marcou três gols, na goleada frente ao Rio Negro por 4 a 2, no dia 13 de março, em partida válida pelo campeonato brasileiro. Serginho foi bem naquela competição, marcando 9 gols em 11 partidas disputadas, ainda assim era reserva de outra grande atacante, Mirandinha. Em 24 de novembro daquele ano, no entanto, uma tragédia mudaria esta realidade. Em partida frente ao América de São José do Rio Preto, válida pelo campeonato paulista, após uma dividida com o zagueiro Baldini, Mirandinha fraturou a tíbia e o perônio de sua perna esquerda. A partida estava 1 a 0 para o tricolor, quando Serginho entrou no seu lugar e marcou mais dois gols da vitória por 3 a 0. Não saiu mais do time

Passou a marcar gol de todo jeito, sobretudo por conta de uma rara habilidade, seu ponto forte, de jogar junto aos seus marcadores e usar o seu corpo para levar a melhor. Logo deixou o Sérgio II de lado e virou, definitivamente, Serginho. Pouco tempo depois, por conta do tamanho dos pés grandes, calçava 45, ganhou do atacante Terto, o apelido de Chulapa. Campeão paulista de 1975 e artilheiro da competição com 22 gols, Serginho passou a ser a grande referência da equipe tricolor, responsável pela maioria dos gols da equipe, o que acabou lhe rendendo o titulo de maior artilheiro da história do São Paulo, com 239 gols em 396 partidas oficiais.

Novamente artilheiro do campeonato paulista em 1977, com 32 gols, era considerado, juntamente com Reinaldo, do Atlético Mineiro, um dos principais centroavantes do campeonato brasileiro de 1977. Até que em 12 de fevereiro de 1978 em partida frente ao Botafogo de Ribeirão, após ter um gol anulado, o que seria o de empate, aos 45 minutos do segundo tempo, partiu para cima do bandeirinha, Vandevaldo Rangel, o agredindo com um chute na canela. Expulso, acabou sendo punido com uma suspensão de 14 meses, da qual cumpriu 11 deles, a maior de um jogador na história do futebol brasileiro. O período fora dos campos acabou impedindo a sua convocação para a Copa do Mundo de 1978, segundo jornalistas da época por orientação do dirigente da CBD, atual CBF, o vascaíno Almirante Heleno Nunes, que queria Roberto Dinamite no selecionado. O fato é que Serginho vivia a sua melhor fase naquele ano. Suspenso, ficou ausente da partida final contra o invicto Atlético no Mineirão. Ainda assim, a pedido de dirigentes do tricolor, atendeu o chamado do amigo Muricy e chegou ao estádio mineiro de helicóptero momentos antes do inicio da partida. Aqueceu com os colegas e passou a nítida impressão que entraria em campo, passando aos mineiros certa preocupação que acabou contribuindo com a tarde pouco inspirada daquela que era considerada a melhor equipe da competição, mas que acabou sem o titulo, que ficou com o São Paulo.

Voltou aos campos apenas em janeiro de 1979 para a disputa do campeonato paulista de 1978. Poucos meses depois, em 17 de junho daquele ano, coube a ele marcar um espetacular gol de cabeça, aos 14 minutos do segundo tempo da prorrogação frente ao Palmeiras, na vitória tricolor por 1 a 0 e que valeu a vaga para a final do Paulistão, que acabou sendo conquistado pelo Santos. A vingança, no entanto, viria no ano seguinte, quando Serginho marcou os dois gols das duas vitorias do tricolor por 1 a 0 nas partidas finais, em 16 e 19 de novembro, válidas pelo campeonato paulista de 1980, frente ao mesmo Alvinegro Praiano. No ano seguinte, em 1981, mais um titulo paulista, desta vez após vitória por 2 a 0 frente a Ponte Preta, em 29 de novembro, com direito a um gol após dar um chapéu no goleiro Carlos.

Ainda naquele ano, poucos meses antes, voltou a se envolver em confusão. Sofrendo com hemorroidas, por orientação dos médicos do São Paulo, quando em crise, passou a utilizar absorvente intimo. Em 3 de maio de 1981, na final do campeonato brasileiro frente ao Grêmio, no estádio do Morumbi, o goleiro do tricolor gaúcho, Leão, ficou sabendo e passou a provocá-lo. Perdendo por 1 a 0 e vendo a conquista nacional escapando, aos 43 minutos do segundo tempo, Serginho não perdeu a oportunidade de dar um violento encontrão no goleiro e posteriormente dar um leve chute em seu rosto. Expulso, embora em grande fase, novamente passou a ser questionado quanto a eventual convocação para a Copa do Mundo de 1982. Do seu lado havia o fato do técnico da seleção brasileira ser Telê Santana, que houvera o lançado no tricolor em 1973. O Mestre Telê acabou o convencendo a mudar seu comportamento, era isso ou perderia mais uma Copa. Sob controle, Chulapa, foi apenas, Serginho, uma sombra do artilheiro do campeonato brasileiro daquele ano, com 20 gols, e teve uma atuação apagada na Copa do Mundo de 1982. Seus números com a camisa canarinho se resumiram a 22 partidas, desde sua estreia em 12 de outubro de 1977, na vitória por 3 a 0 frente ao Milan, até a fatídica derrota para a Seleção Italiana, por 3 a 2, em 5 de julho de 1982, e 10 gols marcados.

Após ser vice-campeão paulista pelo São Paulo em 1982, foi contratado pelo Santos que buscava montar uma equipe competitiva para o campeonato brasileiro de 1983, condição imposta pelo presidente da CBF, Giulite Coutinho, para resgatar a equipe, “bionicamente”, da disputa da Taça de Prata, segunda divisão da competição, presente extensível ao Vasco da Gama, por conta da fraca campanha no campeonato estadual cuja classificação servia de critério para a disputa da competição nacional. No alvinegro da Vila Belmiro teve um grande ano de 1983, sendo vice-campeão brasileiro, e artilheiro da competição com 22 gols, assim como do campeonato paulista, com o mesmo número de gols. As confusões, no entanto, também continuaram. Em 31 de julho daquele ano, no clássico, que acabou empatado sem gols, frente ao Corinthians, após entrar em campo com fraque e cartola, acabou trocando socos e pontapés com o amigo Mauro, zagueiro adversário. Já no ano seguinte, novamente frente ao Corinthians, foi dele o gol da vitória por 1 a 0, em 2 de dezembro de 1984, e que acabou dando fim ao incomodo tabu de 6 anos sem títulos do Santos. Além de campeão paulista, também foi o artilheiro da competição, com 16 gols.

Poucos dias depois, já em 1985, se apresentou justamente no adversário da final, como reforço de uma equipe repleta de grandes nomes, como Carlos, De Leon, Dunga, Arturzinho e Casagrande que retornava de um empréstimo ao São Paulo. Aquele time passou a ser conhecida, no papel, e apenas nele, como a Seleção Corintiana. Ao que parece, a presença de muitas estrelas não ajudou a criar um bom clima entre os atletas, a campanha da equipe foi pífia e a trajetória de Serginho no Corinthians durou apenas 11 meses, período em que atuou 38 vezes e marcou 14 gols.

Voltou ao Santos em 1986, onde, após disputar um bom campeonato paulista, passou quase todo o segundo semestre sem jogar. Contusões crônicas impediam que permanecesse na ativa, ainda assim no começo de 1987 foi contratado pela equipe portuguesa do Marítimo, onde atuou apenas em 5 partidas e marcou 4 gols. Em 1988, retornou ao Santos, onde ficou até 1990, após uma curta passagem na equipe turca do Malatyaspor. Vestiu a camisa do Santos em 165 jogos, marcando 104 gols, sendo o terceiro maior artilheiro da história do Santos, após a era Pelé, atrás apenas de Neymar e Robinho. Saiu do Santos para atuar em 1991 na equipe vizinha, a Briosa, Portuguesa Santista e logo a seguir no São Caetano, onde marcou, de pênalti, o gol do empate em 2 a 2 frente ao Taquaritinga, em 13 de dezembro de 1992, que garantiu o vice-campeão da divisão intermediária do campeonato paulista daquele ano e o acesso da equipe do ABC paulista para a divisão principal do ano seguinte. Encerrou a carreira em 1993 no Atlético Sorocaba aos 39 anos de idade.

Serginho foi um goleador com faro de gol, uma garantia ao torcedor que certamente o placar não acabaria em branco, um irreverente, folclórico e destemperado jogador, um retrato fiel do verdadeiro boleiro, para quem o que importa, sempre, é “bola na rede” e a palavra “perder” não faz parte do vocabulário.

José Renato

129 comentários

    • não paro de falar e insistir
      doutor jumenal jumencio deixou Danilo ir pro adversário
      ele contribuiu muito no título de LA e mundial dos caras

      agradeço ao incompetente ( que se acha super competente) JJ

    • Apesar de estar e ter ido bem no SCCP, creio que o auge do Danilo foi com o SPFC, apesar de tudo.

      O auge do Danilo durou + tempo que o do Ganso então acho que o “Zidanilo” foi melhor(até o momento).

      Quando víamos o Danilo no auge pensávamos “Ótimo jogador, vai brigar por seleção”

      enquanto ao vermos o Ganso no auge pensávamos “Ótimo jogador, futuro candidato a melhor do mundo e indispensável para a seleção.”

      • É só ver lances decisivos do Danilo tanto no SP quanto no Curica. O cara sempre tá no lance. Ou fazendo gol, desarme, rebote, etc.

        Eu não me lembro de um jogo pegado que o Ganso se destacou.

  1. Nosso elenco está cheio de coadjuvante que se acha protagonista.
    Michel Bastos foi muito bem ano passado… Qual o motivo?
    Simplesmente ele era um mero coadjuvante do Kaká! Não era nele que iria cair a pressão, tinha alguém pra segurar a bucha. Este ano o papel dele mudou e vimos a queda de rendimento.
    Se desse pra trazer o Ricardo Izecson de volta, mais um Lugano ou alguém com mesmo comprometimento e liderança, poderíamos fazer apenas pequenos ajustes no elenco pro ano que vem, com trocas pontuais desses coadjuvantes que se acham por jogadores com mais gana e operários.

    • Concordo. Michel Bastos naquele ano, por ser reserva de Kaká, estar em baixa no mercado europeu e indefinição no seu contrato, ou ele mostrava futebol ou saia.

      Agora é um mero coadjuvante que de líder, não tem nada. É mimimi e não é bom de grupo.

  2. Fantástico post, Zé!!!

    Grande Serginho Chulapa!
    Vão tirar sarro, mas esse é o meu maior ídolo no SPFC!
    Marrento, doido, mas matador nato.

    Saudades daquela época em que não tinha esse monte de jogador mimizento.
    Gostava daquelas apostas que fazia com os adversários antes das partidas.
    Era um atrativo a mais para os clássicos.

  3. Pertinente e muito boa essa matéria sobre modelo organizacional e a profissionalização da gestão, comentando o intrigante caso da demissão do CEO Alexandre Bourgeius..

    http://spfc.terra.com.br/news.asp?nID=138728

    Evidente que o Ataíde, independentemente de ser íntegro e correto, ou não, se mostra como um dos grandes entraves no processo de reorganização do SP.

  4. Acompanhei toda a carreira do Serginho no tricolor. Era sempre uma alegría vê-lo em campo. Fez gol de tudo quanto foi jeito, criou as maiores confusoes dentro e fora de campo, foi polêmico, irreverente, irresponsável, genial. O maior artilheiro da história do SPFC. Esse gol ao 119 minutos, com o 110 mil no morumbi, calou a outra metade que cantava “tá chegando a hora…” e fez que o nosso lado apertado da arquibancada explodisse de alegria. Sao muitas lembranças e passagens do Serginho, mas essa imagem eu nao esqueço jamais.

  5. Serginho…eita saudades…até quando fazia besteira era diferenciado.
    Na comemoração desse gol contra a Ponte Preta, ele simplesmente, embaixo de chuva, foi lá, “roubou” o guarda-chuva do representante da federação que ficava nem no meio de campo, e saiu correndo pelo campo.
    Em uma outra partida contra a Ponte, no Morumbi, ele fez uma aposta com o então zagueiro Juninho. Quem perdesse o jogo, carregaria o outro nas costas o campo inteiro. Perdemos por 2×1 e lá foi o Serginho carregar o Juninho…
    Numa partida contra o Corinthians, saiu no tapa com o zagueiro Mauro. Após os dois serem expulsos, saíram abraçados de campo e, dizem, foram tomar cerveja juntos para comemorar a amizade…

    #VoltaSerginho

  6. Os “reservas” do Sub-20 do SP, vencem jogo treino, de virada, contra as Peppinhas…

    http://spfc.terra.com.br/news.asp?nID=138730

    Muito bom o trabalho do Jardine no comando do SP, treinador que recebeu um caloroso abraço do Leco ontem após a conquista da Copa BR, tendo rolado também uma conversa, que bem poderia ser um convite, dando conta que ele assumiria a função substituto eventual do treinador do profissional a partir de 2016.

    Chega da interinidade do Milton do Caderninho !

    Aliás, chega de MC no SP !

    • A propósito, dêem uma boa olhada em todo o elenco do sub-20 e também do sub-17, pois tem muito mais gente promissora, do que os nomes que sobressaíram nessa final.

      Marlon, Felipe, e várias outras promessas de muito futuro.

      No sub-17, que fará a final, parece que no próximo sábado, contra as Sardinhas, tem muita gente boa demais.

      O goleiro, Dênis, é muito melhor que o Lucas Perri do sub-20…

  7. Serginho Chulapa era um dos nomes + disputados para ser “interpretado” quando a garotada se juntava na rua pra montar times e jogar bola…

    “Eu sou o Chulapa”
    “Não não é, eu que sou”
    “Eu sou o maior então eu que sou e não vocês”

    rsrsrs

    #SaudosismoLatente 🙂

  8. Sobre o Ganso:

    Vender o Ganso por 23 mi seria péssimo para o SP, essa hipótese sequer deveria ser cogitada, Tentaria uma estratégia diferente.
    Penso que o melhor a se fazer com o Ganso é renovar o contrato, procurar representantes do Barcelona e propor a eles um empréstimo do meia, sem custos para o time catalão com o salários pagos integralmente pelo SP. Tenho certeza que se ele jogar duas ou três partidas ao lado do trio MSN se consagra e chove ofertas milionárias pelo seu futebol.
    Sei que estou falando de mundo real e não de Football Manager, mas se empresários fizeram os caras pagar pelo Douglas, fazer aceitarem o Ganso de graça deve ser moleza.

        • Não Thiago, Iniesta é melhor que Ganso, Ganso ficaria sentadinho no Banco, mas lá tem rodízio, com a Liga, Copa do Rei, Supercopa, UCL, uma hora a oportunidade ia surgir, e como o PB bem disse, ao lado do trio ou pelo menos parte dele qualquer um se sai bem, imagina alguém com talento do Ganso. Sei que é meio viagem, mas acho factível.

  9. Leandro Alenski, vou aproveitar seu comentário para desabafar um pouco. Como esquecer os gambás?

    Este time reflete hoje o que nosso país é.

    Vários campeonatos roubados, desde 1977 quando compraram o Rui Rei até 2015.

    Declarações do presidente deles dizendo que compraram mesmo o juiz e nada acontece.

    Estádio construído com falcatruas, ajuda de bandidos, dinheiros desviados, jogadores laranjas, etc.

    Passamos por uma copa do mundo e cadê o tal do legado?

    O time dos gambás hoje espelha o país, rouba mas faz! Vamos levar vantagem em tudo, certo? Leve vantagem você também?

    Um certo partido e um certo time, tudo a ver. Fale pare um torcedor fanático das duas facções e eles te respondem que nada está acontecendo, que tudo está normal, ninguém roubou e se roubou foi para nós mano….então tá valendo.

    Tá valendo roubar se for para nós…tá valendo comprar alguém se for para nós…

    Que vergonha estou sentindo desta imprensa safada, deste partido que quebrou o país com uma roubalheira nunca vista antes no mundo!

    Agora veja se este time estaria onde está se não fossem as roubalheiras feitas, as compras de pessoas e de empresas.

    Ainda tem jornalista falar que bater panela é coisa de elite e que o tal do areia mijada é o cara.

    Que pais é este?

    Desculpe me pelo desabafo.

    • Prezado,
      Esquecer para não ficar com aquele velho ditado “a grama do vizinho é mais verde”…
      A se estivesse vindo para cá e não para lá ajudar a ganhar tal campeonato.

      Não admito comprar a história do SPFC com a desse time, bem como você disse de falcatruas, mesmo passando por esse momento difícil em nossa política.

    • Belo comentário! Concordo em gênero, número e grau! Vivemos num pais onde ser honesto deixou de ser obrigação para ser uma mera qualidade…
      E falando em roubo, ontem andando na rua, percebi a aproximação de um sujeitinho daqueles…quando vi que ia ser assaltado, dei uma baita grito “É CAMPÉÃO”!!! O sujeitinho guardou a arma, me abraçou e disse “É NÓIS MANO”!!!!

    • Cara, estão acabando com todos os modelos do país.

      Música hoje é funk e Calipso.

      F1 é Felipe Massa.

      TV é novela .

      Livro só de colorir.

      Peça de teatro é Macaquinhos, gente pelada cutucando os fundilhos uns dos outros.

      Time de futebol é Curica.

      Hoje vc não tem um ídolo pra apresentar pro seu filho. O moleque não vai te pedir uma camisa 10 do SP pra jogar na rua ou um capacete amarelo pra brincar de Senna.

  10. Com certeza um grande ídolo do SPFC. Pelo menos pra mim…
    Esses 14 meses de suspensão (merecida, diga-se de passagem) mostra como antigamente as coisas no futebol eram mais sérias e rígidas. Hoje, um Petrus e um Dudu da vida agridem escandalosamente um árbitro e a punição meramente fica em algumas “cestas básicas”. Viva o futebol brasileiro e sua bagunça!!!!!

  11. Com certeza um grande ídolo do SPFC. Pelo menos pra mim…
    Esses 14 meses de suspensão (merecida, diga-se de passagem) mostra como antigamente as coisas no futebol eram mais sérias e rígidas. Hoje, um Petrus e um Dudu da vida agridem escandalosamente um árbitro e a punição meramente fica em algumas “cestas básicas”. Viva o futebol brasileiro e sua bagunça!!!!!

  12. Armando Junior
    25 de novembro de 2015 às 13:07

    ———————————————————-

    Nessa sua estratégia (mesmo utópica) então vc descarta o Ganso do time de vez?

    • Thiago_tsartvida
      Acho que nenhum time no Brasil pode descartar um jogador do naipe do Ganso, tampouco o SPFC, mas acho que a diretoria deveria montar um time sem grandes nomes, com salários baixos, que apenas nos garanta continuar na primeira divisão feito isso deveria focar totalmente em reequilibrar o clube, porém, infelizmente achar que isso pode acontecer é mais utópico que minha estratégia de botar o Ganso no Barça.

  13. E o maior salário do ano que vem será pro… adivinhem… Wesley!!!

    Maravilha, hein?! Mais um que vai passar pelo clube pra encher o bolso e dar migue.

  14. Tambem acho que o Ganso é acima da Media no futebol brasileiro!

    Mas não se esqueçam, que no final de 2017 tambem acaba o contrato dele e ele poderá sair de graça e hoje certamente ele não amarraria mais um contrato de 2 ou 3 anos conosco, nessa draga que estamos!

    Ou ele estoura de vez nesse ano de 2016 e fazemos “caixa” com ele ou vai embora de graça ou pela metade do preço igual ao grande Maicon em dez 2017!!!

    Lembrando que parece que a DIS tem um grande parte (68%) e nos apenas 32%…sendo que a propria DIS fez o rolo do mesmo Wesley para o Werdem bremen da Alemanha e do Andre do Sport para o DInamo!!

  15. A melhor posição do Michel Bastos é de segundo volante, vindo de trás e de frente pro gol pra fazer o chute.

    Pra jogar de ponta, ele teria que ter o estilo do Lucas ou Douglas Costa.
    De lateral esquerdo ele deixaria muito espaço e não teria velocidade pra chegar a linha de fundo. Aliás, ele não tem o drible em velocidade.

    • Atualmente, eu acho que é a ponta esquerda …, do banco de reservas.
      Pode saber muito de bola, mas nunca decidiu nada …, nem foi protagonista …, nunca.
      Migué Bastos …., mimizento.
      Não sabemos dos bastidores, mas sua má vontade é nítida, assim também com Wesley …,
      ambos apresentam uma preguiça displicente.
      Parecem forçar a saída …, se assim for …, tchau e muito obrigado por nada.

  16. Vamos sonhar um pouco…Lucas sendo apresentado no Morumbi para 50.000 pessoas, arquibancada cheia de bandeirões, recorde de venda de camisas, bater nos 100.000 STs…

    • Lucas voltar pro Brasil seria o rei daqui, até pensando em seleção, no caso anseio do jogador, olha não custa tentar. Esse desequilibra de verdade.

        • A volta do Lucas seria sensacional. O moleque GANHOU aquela Sul-Americana pra gente, pois quis se tornar de alguma forma, um ídolo tricolor. Ganhou porque tinha vergonha na cara e sabia do tamanho da camisa que vestia. O Lucas fez até um vagabundo mau caráter como o Jadson bunda gorda jogar bem.

  17. Possível com alguma ação de MKT e o PSG pagando quase 70% do salario dele!

    Empréstimo de 1 ano com prorrogação automática de mais 1 no PSG…bem viável!

    Mas esta com cara de algum time mediano na Espanha ou no leste Europeu…

  18. Esses dirigentes do São Paulo, são uns amebas.
    Ontem na Copa do Brasil sub-20.
    Empresta o Ewandro, e ele joga contra o Tricolor?
    Só faltava fazer o gol do título para eles.

    Essa é demais ou melhor mais uma das burrices.

    • Emprestamos Ewandro para ele ganhar experiencia no profissional.

      E aí ele joga no sub-20 contra o nosso time.

      Mas….

      “Na minha (conta), certamente não vai, eu acabei de assumir. Vai para conta de uma série de coisas ruins que ocorreram no São Paulo nos últimos tempos

  19. Serginho foi sensacional e está entre os maiores ídolos da história do SPFC.
    Com ele certamente o Vampeta não jogaria mais futebol depois de falar gracinhas como bambi para os São-Paulinos, inclusive em entrevista recente ele disse que arrebentaria o baiano abichanado se fosse no tempo dele.
    Certamente que com ele em campo o SPFC não tomaria a goleada que tomou domingo, pois ele ameaçaria não só os jogadores do Curintia como quebraria a cara de vários vagabundos do elenco dentro do vestiário.
    Me lembro de um jogo entre o SPFC e o time sem cor no Morumbi, o SPFC perdia por 2×0 e estava na roda, teve uma bola espirrada na lateral que seria do Curintia, mas ele veio descabelado e desgovernado , enfiou um bico na bola em direção ao banco de reservas do Curintia e junto com a bola caiu em cima do banco de reservas sendo socado por um preparador físico dos caras , aí já imaginam o que aconteceu…expulsão dele e do preparador físico, ele saindo escoltado por 2 policiais, escapou dos gambés e deu uma voadora no cara que o agrediu que o mesmo foi parar no hospital, mas 4 horas da manhã já dormindo em sua casa, o Aidar, o mesmo Aidar desgraçado de hoje em dia, foi na casa dele pra leva-lo pra delegacia pois o cara deu parte na policia por agressão.
    Faltam mais Serginho no SPFC e sobram mimados.

  20. Pena que Lucas e Ganso não tiveram tempos juntos com nosso manto. No mínimo nosso ataque pela direita seria um ponto extremamente forte do SPFC

  21. Esse tal de Jardine técnico do nosso sub-20 me parece ser muito promissor. Gostei muito do seu conceito de jogo q implantou nessa molecada. Lembra um pouco o estilo do Osório de jogar.

    Agora pra vcs verem como falta visão para a velharada lá do Morumbi. Pq não pegar esse rapaz e promove-lo como auxilar técnico dos profissionais no lugar do ACOMODADO do MC, ou uma espécie de coordenador de treinadores de Cotia (nem sei se existe esse cargo) e oferecer a ele um estágio na Europa naqueles cursos para técnicos com tudo pago pelo SPFC pra q ele depois quando voltar, repassar todo o conhecimento para nosso futuros técnicos da base e até mesmo ENSINAR futuros técnicos tricolores produzidos made in SPFC ???

    Construir uma espécie de faculdade tricolor de treinadores com conceitos inovadores e sempre se atualizando, e um ajudando o outro, e com isso no futuro não precisaríamos mais contratar treinadores e sim revelar como fazemos como jogadores.

    Como acontece mais ou menos com o Barça, quando ex-jogadores deles resolvem querer virar técnico e aprendem lá mesmo como comandar um time com conceitos de jogo próprios do clube.

    pq é tão difícil dessas coisas acontecer no Brasil ? Claro q isso não se faz da noite para o dia, mas vejo q falta vontade de nossos dirigentes, eles não tem visão de nada, acredito q esse Jardine pode ser um bom treinador q se for incentivado e bem trabalhado pode fazer carreira no clube e até mesmo nos ajudar a trazer outros como ele pra ajudar o SPFC.

    • Acho a idéia ótima e já tinha pensado nisso, refazendo o que se tentou com o Rene Simões, mas de forma séria dessa vez.

      Pensei no Falcão na época que tava desempregado.

      Porém, penso que teria de ser um ex jogador ou alguém mais identificado com o clube, pois não tem como pagar tudo p cara na europa e na volta ele aceitar uma proposta de outro clube p ganhar mais e aplicar os conhecimentos adquiridos por nossa conta.

      Jardine por exemplo já foi técnico das categorias de base de grêmio e inter.

  22. Ale Oliveira agora no Bate Bola detonando Wesley. Dizendo que Wesley é quem tem que puxar a fila dos jogadores descompromissados com o clube. Exatamente com essas palavras. Tá feia a coisa pro lado desses vagabundos. Se até o Ale Oliveira falou sério agora….

  23. Dificil avaliar o quanto um jogador consegue ser hipócrita.

    Wesley falando: “Se Deus quiser vamos fechar o ano com chave de ouro”.

    Chave de ouro? 2015? Jura? Só dá razão pra torcida mesmo.

      • Será? Olha quanto eles gastaram com Wesley:

        “No Palmeiras, chegou através de uma operação escandalosa. Em princípio eram € 6 milhões, R$ 14 milhões ao câmbio da época. A esse valor foram acrescidas taxas referentes ao fracassado esquema de crowdfunding idealizado pela diretoria, além dos encargos financeiros decorrentes dos atrasos das parcelas acordadas com o clube alemão e que tiveram como avalista o então presidente do Criciúma (???) Antenor Angeloni. O valor alcançou cerca de R$ 21 milhões.

        O Palmeiras não tinha dinheiro nem para pagar a conta de luz, quanto mais para honrar as parcelas com o sr. Angeloni. Aos R$ 21 milhões, somem-se os salários, estimados em cerca de R$ 350 mil, e ultrapassamos os R$ 34 milhões, por três anos de Wesley, que fez 103 jogos pelo clube e marcou 12 gols. São mais de R$ 336 mil por jogo. “Ganhou” do Valdivia, com sobras.”

  24. Vou repostar aqui algo de um colega do post anterior:


    Links:
    http://globoesporte.globo.com/futebol/times/sao-paulo/noticia/2015/11/para-minha-conta-nao-vai-diz-leco-sobre-responsabilidade-por-goleada.html

    http://globoesporte.globo.com/futebol/times/sao-paulo/noticia/2015/11/na-base-do-sao-paulo-artilheiro-e-goleiro-bom-com-os-pes-animam-leco.html

    Então é isso? Se der RUIM, não é minha conta, mas o que der de BOM, pode colocar!
    Sujeito ridículo! É mais ou pior que JJ, e Aidar.
    Não esperem nada a mais do que chegar mais rápido ao fundo do poço!

    Esse Leco é um PALHAÇO, minhas desculpas aos moderadores, mas pra mim isso é inaceitável.

    Pela primeira vez na minha vida acho q vejo um dirigente do SPFC tão, tão.. nem sei q adjetivo usar pra não ser moderado…

    Um homem tem q ser COERENTE e assumir tanto falhas quanto sucessos

    estou honestamente envergonhado 🙁

  25. Heron
    25 de novembro de 2015 às 14:25

    ———————–

    Creio que os clubes que podem fazer esse tipo de investimento em relação aos treinadores, não acreditam que isso seja um investimento mas sim um gasto e por isso o cenário está como está.

    Os que se “aventuram” a buscar reciclagem fora do país fazem com R$ próprio, e pra fazer esse tipo de coisa só sendo “figurão” mesmo pra ter onde tirar a grana.

    Infelizmente esses técnicos tarimbados (na maioria) já tem tantos vícios profissionais que essas atualizações não renovam seu portfólio prático.

    Ou seja, eles podem até bradar aos ventos que foram se atualizar fora do país mas qdo precisam mostrar revelam na prática que foi praticamente “apenas uma viagem” 🙁

  26. Serginho, esse sim é ídolo !
    Ele e o Garotão Mimado do LF9 fizeram muitos gols e arrumaram muitas confusões no SPFC.
    A “ÚNICA” diferença entre eles é que o Serginho era muito decisivo, nos deu muitos títulos e alegrias, já o Garotão Mimado nos TIROU muitos títulos nos deixando na mão nos momentos mais importantes e complicados do nosso SPFC.

  27. Vi alguem perguntando sobre o Ganso vs Danilo .. sabe quando eles vão prestar? Qdo sairem do SP e arrebentarem em outro lugar..é sempre assim ….

    Achei a maior burrada não repatriar o Danilo..e vou achar outra maior ainda.. negociar o Ganso!

  28. Essa coluna de ídolos é muito importante.

    Eu considero o futebol como uma forma de arte.

    Um quadro, uma música, um prédio podem resumir um sentimento, um ideal.

    Eu devia ter uns 7anos quando o Careca acertou aquele balaço nos acréscimos da final de 1968. Eu era pequeno, mas entendi o quanto aquilo foi corajoso.

    Depois vi Telê e Raí. Via o talento e a superação desses caras. Eu olhava aquilo e achava que era o tipo de pessoa que eu queria ser quando crescer.

    Hoje eu vejo um time sem sangue. RC falando que 6×1 foi acidente. Pipoca pipocando pra variar. E Wesley andando em campo.

    Nem marcar duro marcaram. Não teve um empurrão, uma expulsão. Só o TM que deu um enquadro no Fagner e só isso.

    E a torcida também não liga mais.

  29. Se puderem ir até 4:38….essa entrou para conta de Leco? 3 x 0, para o mesmo rival….discurso quase o mesmo!

    Sergio Baresi no comando da equipe, ele se esquivando para falar do técnico e no final…..Paulo Cesar Carpegiani….

  30. Serginho tinha cheiro de gol…

    Oscar, que foi um dos maiores zagueiros da história e do futebol mundial, quando ainda estava na Ponte Preta já falava que o Serginho era o atacante mais difícil de marcar que ele enfrentou.

    Disse que só parou de ter pesadelos com o Serginho depois que veio para o São Paulo.

  31. O SPFC deveria encerrar as negociações com o Grêmio pelo Maicon, deve ter alguns clubes interessados aguardando só o desfecho dessa negociação para fazer uma investida que possa ser até melhor.

    • Tenho a impressão que não existe negociação alguma.
      O Grêmio quer impor as condições do negócio ao SPFC …, chegando ao cúmulo de
      compor o pagamento com passivos recebíveis de terceiros.
      Se o Gustavo aceitar …, é caso de demissão sumária.

  32. Não quero ser pessimista, não quero ser o cavaleiro do apocalipse.

    Não é nem minha 10a opção de técnico.

    Mas, estava dando uma olhada de como agia Leco como vice de futebol, e quando ele demitiu Muricy em 2009, explicou que Ricardo Gomes, tinha a seu favor, o fato de ter dirigido a seleção pré-olimpica.

    Depois em 2012, quando Leco era parte da diretoria, contratamos Ney Franco, que tbm foi técnico no torneio pre-olimpico, mas se classificou.

    Será que agora estamos sonhando com Sampaoli, Bauza, Jubero, Cuca, e vamos acordar com o Alexandre Gallo, ex-técnico da seleção olimipica que convocou Auro, Lucão, Rodrigo Caio, Ademilson, Boschilla….

    • Caro Ernani …, estava pensando o mesmo.
      Por muito estranho que seja …, acho o retorno do Muricy plausível …, mas podemos ficar com Guto Ferreira ou Gallo.
      Com o discurso que a estrutura é o que conta …, e o técnico é acessório …,etc …, etc.

    • Pensei nisso também… Técnico com plano de carreira não vem nem a pau, vai sobrar o descompromissado e o que quer dinheiro…

      Vide Osório, que veio, viu que mentiram para ele, que estava uma bagunça só e vazou.

  33. Serginho Chulapa. Maior artilheiro da nossa história. Torce para outro time, mas durante os anos que jogou no tricolor, honrou demais nossa camisa. Comemorava muito os gols, vibrava durante as partidas. Fez gols memoráveis. Em 1981 na final do paulista contra ponte preta, marcou um gol com um chapéu no goleiro. Sao Paulo campeao. Muito obrigado Serginho.

  34. Serginho… ah, Serginho… bons tempos. Tempos de jogador com vergonha na cara…

    Quem viu Forlan, Jurandir, Roberto Dias, Paraná, Arlindo, Dario Pereyra, Oscar, Chicão, Teodoro, Serginho Chulapa e outros, muitos outros… alguns craques, outros nem tanto, mas dava gosto de ver, dava gosto ver a entrega, a dedicação, o respeito pela camisa tricolor mais gloriosa do mundo…

    Chicão que peitou a seleção argentina inteirinha em pleno gramado portenho em Copa do Mundo… dava gosto de ver… coragem, jogador macho…

    Hoje temos poucos assim… um Lugano, um Palito e quem mais??? Hoje o que temos é jogador que não serve pra engraxar as chuteiras dos jogadores de antigamente mas que se acham Deuses… mas em termos de entrega, de dedicação, de respeito, temos muito poucos, quase nada… a maioria é mercenária, ingrata e covarde…

    • Se não me engano, acho que ficamos mais de 12 ou 15 anos, entre 70 e 85 sem tomar 4 gols num jogo só, se tomamos foi no máximo uma ou duas vezes, tipo um 4×1 ou 4×2 e olhe lá….

      Até 3×0 era raro da gente tomar independente da posição no campeonato.

    • Márcio, comentei acima … : saudade do tempo em que o futebol separava homens de meninos.
      Não achei adequado complementar o que estava implícito …, faltam homens de verdade …,
      de valores e de caráter …, salvo honrosas exceções.
      Mas a civilização vai impondo seus “modelos” …, na ausência total de valores humanos e
      construindo a “imagem midiática” de sucesso imediato.

      • Uma pena… o futebol sempre foi uma forma de fuga… milhões de pessoas encontravam no futebol as alegrias que não tinham em suas vidas…

        Acabaram com o futebol, acabaram com os sonhos, acabaram com as fugas…

  35. Vide tamanha a dificuldade de nossos diretores decidirem o treinador pra 2016 quecheguei a entrar numa sinuca de bico:

    “Fico feliz pelo Muricy não voltar por causa do Leco…
    ou fico triste pelo Leco estar aqui e o Muricy não volta por isso?”

    #DilemaTostines

  36. Boa Tarde Nação Tricolor.

    Caros Tricolores Tri Campeões Mundiais.
    O que Vcs acham, dessa sugestão de elenco, para 2016, com possíveis vendas ou trocas de jogadores, por motivos de falta de grana.

    Time
    1. Renan Ribeiro
    2. Buffarini
    3. Lugano
    4. Funes Mori
    5. Rodrigo Caio
    6. Inácio
    7. Otávio
    8. Thiago Mendes
    9. Alan Kardec
    10 Ganso
    11. G.Bou

    Reservas
    1. Denis
    2. Auro
    3. Breno
    4. Lyanco
    5. João Shimit
    6. Matheus Reis
    7. Rogério
    8. Daniel
    9. João Paulo
    10. Mancuello
    11. Centurion

    Reservas
    1. Léo
    2. Lucas Farias
    3. Maidana
    4. Tormena
    5. Banguele
    6. Henrique Miranda
    7. Murilo
    8. Luís Araújo
    9. Joanderson
    10. Lucas Fernandes
    11. David Néris

    Técnico
    Sampaoli ou Jubero

    Vendas ou Trocas
    Michel Bastos
    Wesley
    Carlinhos
    Bruno
    Wilder
    Lucao
    Reinaldo

    Saídas confirmadas
    Rogério Ceni
    Pato
    Luís Fabiano
    Só com essas três saídas, e mais a do Michael Bastos e Wesley, diminuiria e muito a folha salarial do SPFC.

    Os jogadores que voltam de empréstimo, venderia ou usava como moeda de troca.

    Seria apenas 5 contratações ou trocas, já que o Lugano viria a custo zero.

    • Serginho Chulapa
      Centroavante

      Era insuperável quando partia para o gol. Desengonçado, parecia que ia cair, mas nunca caía. Recuperava o equilíbrio durante a corrida e marcava. Era gol na certa. Usava os braços e o corpo também com uma habilidade incrível. Bola na sua esquerda era gol, na direita meio gol. Alto, fazia ainda muitos gols de cabeça. Era bom também para bater faltas e pênaltis. Tinha uma empatia especial com a torcida porque sabia provocar os adversários, quer com declarações fora de campo ou com atitudes “consagradoras”. A torcida adorava a mistura do jogo eficiente com o comportamento malandro. É o maior artilheiro da história do SPFC. Não foi a Copa de 78 por causa de uma suspensão por 14 meses, mas centroavante titular do Brasil na de 82.

      Jogos disputados pelo SPFC: 399
      Estreia: 06/06/1973
      Último jogo: 12/12/1982
      Gols Marcados no SPFC: 242
      Nascimento: 23/12/1953, São Paulo (SP).
      Títulos conquistados no SPFC: Campeão Paulista de 1975, 1980 e 1981 e Campeão Brasileiro de 1977.

      Fonte SPFC

Deixe uma resposta