Leco e Aidar tem requerimentos entregues ao Conselho para investigação

O Blog do São Paulo recebeu as informações seguintes do “Grupo de Oposição SPFC-FORTE” que os requerimentos abaixo foram entregues:

Sobre o Leco:

Ao Presidente do Conselho foi entregue um requerimento em que o nome a ser investigado é o de Leco. O caso é conhecido e gerou penhora de quase R$ 5 milhões (R$ 4.610.571,98) em 2015 do clube pelo Caso “Jorginho Paulista” onde a Prazan Comercial Ltda acionou o Tricolor e venceu em todas as instâncias.

O contrato fora assinado por Leco quando era diretor de futebol na época (2003). O que ocorre é que pelo Estatuto do clube, artigo 86, define competência exclusiva para representar o clube e com o VP Financeiro assinar documentos. Como assinou sozinho sem anuência, o entendimento dos conselheiros é de que ele gerou prejuízo  ao São Paulo FC por abuso de mandato e por isto querem investigação pelo artigo 79 do Estatuto e pelo 1.016 do Código Civil.

Os conselheiros pedem ressarcimento do valor e apuração de Conduta aos cofres do clube.

Sobre Aidar: 

Também ao presidente do Conselho foi entregue requerimento no qual exigem explicações pela qual Aidar contratou um escritório de advocacia com custos de honorários de R$ 8 milhões sendo que para a causa já havia defesa sem custos para o clube. Acionam para tal o art. 2º, II e VII, do Código de Ética e Disciplina do Conselho.

Pedem apuração e reembolso aos cofres do clube.

Blog do São Paulo