Mesmo aqueles que tenham sido titulares em boa parte do último ano, os contundidos do São Paulo não terão lugar garantido após recuperação. Atualmente, o departamento médico do Tricolor conta com jogadores que foram importantes na temporada 2022.

Da lista de desfalques que tem acompanhando o São Paulo nas últimas partidas, ainda nenhuma recuperação é certa para a próxima semana. Entretanto, nos últimos treinamentos, Caio Matheus e Igor Vinícius começaram o processo de transição física. 

A justificativa de Rogério Ceni quanto ao cuidado com os lesionados é pautada em evitar problemas maiores na recuperação ou a recorrência destes. Arboleda, por exemplo, passou boa parte da última temporada machucado. Em junho, durante um clássico com o Palmeiras no estádio do Morumbi, o equatoriano sofreu uma ruptura de ligamentos e uma fratura no tornozelo.

Assim, teve que passar por cirurgia. O zagueiro só voltou a jogar com a camisa do Tricolor paulista neste ano. Porém, esteve presente em somente três jogos. Isto porque começou a apresentar um quadro de tendinite no joelho.

Com a ausência do equatoriano e a cirurgia recente de Ferraresi, que se lesionou nesta temporada contra o Palmeiras também, Beraldo e Alan Franco assumiram a titularidade na zaga. Ao explicar a situação de Arboleda, Ceni usou como exemplo as cirurgias de Caio Matheus e Moreira – jogadores mais novos, revelado em Cotia, mas que estavam começando a ganhar espaço no profissional. 

Segundo o treinador, casos como Arboleda exigem um cuidado maior, uma vez que ele não é ‘tão jovem’ quanto os outros citados.

– Como acho que muitas das lesões são do ano passado, de cirurgias, como Moreira, Caio [Matheus] e Arboleda, que operou no ano passado e, devido a essa cirurgia, é necessário um cuidado maior, porque ele não é um menino de dezoito anos, que vai se recuperar rápido. Temos muitos jogadores que fizeram cirurgias sérias – explicou o treinador.

Para o jogo contra o São Bento, ainda nenhum retorno é previsto. Porém, contra a Inter de Limeira, Rodrigo Nestor – que tinha sofrido uma contratura no adutor esquerdo -, retornou.

De acordo com a fala do técnico após a partida, a intenção é que, até o final do mês, tenha a volta de mais atletas. Rogério Ceni destacou que, com os retornos, a ideia é dar sequência ao trabalho, destacando o trabalho que está sendo feito pelos médicos fisioterapeutas da equipe. 

– Nós esperamos ter a maioria, ou parte, desses jogadores de volta até o fim do mês e dar sequência ao trabalho. Não faço uma defesa corporativista nem clubística. Faço o que eu falo de coração, como sempre fui sincero. O departamento de fisioterapia trabalha bem e tenta recuperar os jogadores – disse.

Os setores que mais preocupam ṣo as laterais e a zaga. Nas laterais porque Orejuela e Welington tamb̩m se lesionaram recentemente. Assim, deram espa̤o para Nathan e Caio Рduas novidades no elenco.

Ao ser questionado sobre a disputa de posição, com uma possível volta dos lesionados em breve, Rogério Ceni já disparou: para ele, jogará quem estiver melhor. Assim, não assegurou quem seriam os possíveis favoritos para a titularidade. 

– Quem está melhor é quem vai jogar.

Lance!