A primeira janela de 2023 para os clubes brasileiros das Séries A e B registrarem jogadores vindos do exterior e também transações dentro do Brasil, novidade neste ano, será aberta no próximo dia 10 janeiro (terça-feira) com encerramento em 3 de abril. Após esse prazo, os clubes brasileiros só terão oportunidade de adquirir reforços no segundo semestre, entre 3 de julho e 2 de agosto. A exceção ficaria por conta de jogadores sem contrato.

Janela brasileira para registro de contratações

Janela 1
Início: 10/01/2023
Fim: 03/04/2023

Janela 2
Início: 03/07/2023
Fim: 02/08/2023

A regra

A FPF permite que os clubes montem duas listas de relacionados: as Listas A e B. A primeira é dos atletas do elenco profissional e a segunda foi criada para incentivar os clubes a utilizarem os atletas da base.

Apenas atletas inscritos em uma das listas podem atuar no estadual. A FPF divulga no Regulamento Específico do Campeonato Paulista de Futebol Profissional os prazos para que esses jogadores tenham seus nomes relacionados – nesta edição, até o dia 10 de fevereiro. Este documento fica disponível no site da organização.

O que é a Lista A?

Nesta primeira relação, cada clube pode inscrever até 26 atletas, sendo três goleiros e 23 jogadores de linha.

A primeira relação deve ser feita até o dia 13 de janeiro, depois, os clubes podem fazer registros adicionais até 10 de fevereiro. Após o prazo, o clube só pode fazer alterações em caso de classificação para a fase de mata-mata ou de lesão séria – confira detalhes no subtítulo “Substituições e lesões”

Todos os 26 atletas necessitam ter seus contratos de trabalho formalizados no sistema da Federação Paulista de Futebol e no Boletim Informativo Diário (BID), da CBF.

Essa relação fica disponível no site da FPF para o público geral. Nela, é mostrada o nome dos atletas, os apelidos, as categorias e as idades, com data de nascimento. Além disso, dados mais “contratuais” são apresentados, como número de registro, data de inscrição, de protocolo e de término de contrato.

O que é a Lista B?

Utilizada desde 2018, esse agrupamento é composto por jogadores comprovadamente formados nas categorias de base do clube. Algumas diferenças para a Lista A é que ela não tem um número máximo de atletas que podem ser inscritos e eles podem ser adicionados a qualquer momento da competição. Exceto para a primeira rodada, em que ela segue a linha de até 13 de janeiro.

Para estarem nessa lista, os jogadores tem que cumprir três critérios:

  • Ter no mínimo 16 anos de idade;
  • Ter no máximo 20 anos de idade, isto é, apenas atletas nascidos até 2002;
  • Estarem registrados no clube há pelo menos um ano (12 meses) – ainda que o jogador esteja emprestado.

Ainda, a FPF restringe o uso de atletas da Lista B, uma vez que apenas sete jogadores presentes nessa lista podem estar em campo ao mesmo tempo. No banco de reservas, no entanto, não há restrição.

Adendos importantes

Mesmo com as duas listas e a B sendo mais “livre”, a FPF impõe alguns limites quanto a quem pode atuar no Paulistão. Confira:

  • O atleta que não tiver completado 16 anos de idade não pode ser inscrito em nenhuma das listas. Ele estará liberado apenas na data exata de seu aniversário;
  • Não é permitido que um atleta com mais de 20 anos – ou seja, fora da base – seja inscrito sem ter um contrato profissional registrado junto ao clube. O atleta só pode atuar com um vínculo não profissional até um dia antes de seu aniversário de 20 anos;
  • O clube só pode levar cinco atletas entre 16 e 20 anos que não tenham contrato profissional por partida, seja entre os titulares ou estando no banco de reservas;
  • A Federação não impõe um limite de inscrição de estrangeiros pelos clubes, mas limita o uso de apenas cinco por partida, seja entre os titulares ou estando no banco de reservas.

Substituições e lesões

A Federação Paulista de Futebol só permite que algum clube substitua algum atleta na primeira fase em caso de lesão. A entidade especifica que ao longo da primeira fase, o clube só poderá substituir atletas em caso de lesão, comprovados por laudo médico informando que o jogador não estará apto a atuar durante o restante da competição. O clube deve enviar este laudo à FPF, que encaminhará ao Comitê Médico. Esta terá prazo de 48 horas para dar seu parecer.

O regulamento especifica que se o jogador que for trocado por conta de uma lesão entrar em campo por qualquer outro clube, tanto nacional quanto internacional, durante a competição, o clube sofrerá um sanção administrativa. A FPF também mostra que um atleta só pode ser inscrito por um único clube participante do Paulistão, independente da série disputada, por edição.

Em casos de venda o clube não pode substituir esse jogador, mesmo que ele seja negociado com um clube estrangeiro. Portanto, caso alguma agremiação inscreva um determinado atleta e acabe vendendo ele, não poderá substituí-lo durante toda a primeira fase.

Ao fim da fase de grupos, a FPF libera, por um breve período, a substituição de até quatro jogadores da Lista A por qualquer motivo. Nesta edição, do fim da primeira fase até 10 de março.

saopaulo.blog