Goleiro do São Paulo, Felipe Alves terminou 2022 como titular de Ceni no gol Tricolor e em entrevista à SPFC Play, contou uma história interessante sobre sua trajetória:

“Na época da escola, quando estudava, todo mundo da minha escola fazia escolinha de futebol. Na época meus pais não tinham condição financeira de bancar a escolinha, e eu acabe indo para o gol, porque na escolinha, goleiro não pagava”.

Mesmo depois, podendo jogar na linha, Felipe então, escolheu se manter:

“Depois de um ano ou dois, a condição melhorou e meu pai falou que, se eu quisesse jogar na linha, ele teria condições de pagar, mas disse que estava gostando, tive a oportunidade de ir para a linha e não quis”.

Felipe contou como é dura a rotina de jogador e goleiro: “Comecei a me aperfeiçoar, aprender os gestos. Acordava cedo, às 3h, 4h da manhã, para pegar o primeiro metrô e trem para ir a Jundiaí treinar, voltar para São Paulo e depois ir para a escola á noite. Foram tempos difíceis, mas você tem que pagar o preço”.

Em 2023, Felipe deve ser 2o goleiro, atrás de Rafael, recém contratado.

saopaulo.blog