O técnico Paulo Bento, que comanda a Coreia do Sul na Copa do Mundo, alfinetou a moda dos treinadores portugueses no futebol brasileiro. Durante entrevista coletiva na manhã de hoje (4), ele questionou os critérios de escolha dos dirigentes.

“Mais do que a nacionalidade, que não creio que seja importante, é a pessoa saber quem quer, o que quer e por que quer”, começou Paulo Bento, que teve rápida passagem pelo Cruzeiro há seis anos.

“Se é português, italiano, brasileiro, não interessa. Tem que saber a competência de quem vai ocupar o cargo. Não é porque um treinador português teve sucesso que se deve procurar outro. Não é esse o caminho. Claro que os treinadores portugueses são competentes e sabem o que querem, mas quem contrata sabe? Creio que não sabem”, criticou o treinador, que é português.

Questionado sobre a passagem pelo Cruzeiro, em 2016, respondeu apenas rapidamente. Ele comandou o time em apenas 17 jogos e foi demitido na vice-lanterna do Brasileirão, após 75 dias no cargo. “Não posso falar muita coisa de uma experiência que durou pouco mais de dois meses. O que ficou foi o carinho pelas pessoas com quem convivi e trabalhei lá. Mas esportivamente foi um trabalho muito curto”, afirmou Paulo Bento.

Brasil e Coreia do Sul se enfrentam às 16 horas (de Brasília) de amanhã (5), no Estádio 974, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Quem passar pega Japão ou Croácia nas quartas.

UOL