O objetivo do São Paulo na temporada é claro: chegar na próxima edição da Copa Libertadores. Para isso, contudo, o Tricolor precisa acertar o pé em um setor do campo que vem deixando a desejar nesta etapa final da temporada, o ataque.

Com o empate sem gols diante do Palmeiras, no último domingo (16), o Tricolor quebrou uma marca negativa que não acontecia há mais de um ano: ficou duas partidas seguidas sem marcar gols.

A última vez que o jejum de gols aconteceu foi em setembro do ano passado, quando a equipe também empatou sem gols ante América-MG e Atlético-MG, ambos em casa, pelo Campeonato Brasileiro.

Nos últimos quatro jogos do Tricolor, em três deles a equipe deixou o campo sem marcar tentos. Algo que não acontecia desde novembro de 2019.

As estatísticas de finalização do São Paulo mostram a deficiência do setor ofensivo. Segundo a Footstats, considerando as últimas três rodadas, a equipe do Rogério Ceni acumula 29 finalizações, sendo 22 erradas e apenas sete certas. Desse total, somente duas viraram gols, os tentos da vitória por 2 a 1 sobre o América-MG.

Ante Palmeiras e Botafogo, o time de Rogério Ceni obteve três finalizações certas, e nenhum gol anotado.

O mau desempenho se reflete também no jejum dos atacantes. Calleri marcou apenas três gols nos últimos 16 jogos. Luciano foi às redes apenas uma vez nos últimos 30 dias, na vitória por 4 a 0 sobre o Avaí.

O São Paulo é o 11º colocado da classificação, com 41 pontos. Está a cinco da zona de classificação para a mais importante competição continental. Melhorar esse desempenho ofensivo é uma das metas no duelo contra o Coritiba, às 20h (de Brasília) de quinta-feira (20), no Morumbi, em jogo atrasado do Brasileirão que pode colocar a equipe de volta na luta pelo seu objetivo.

Lance!