O t√©cnico Rog√©rio Ceni explicou em coletiva de imprensa, ap√≥s o empate entre S√£o Paulo e Cuiab√° na Arena Pantanal, o conflito que teve com um torcedor no √ļltimo s√°bado, na chegada da delega√ß√£o tricolor ao hotel.

Em um vídeo que circulou nas redes sociais, o técnico, bastante irritado, foi flagrado arrancando o celular das mãos de um são-paulino e depois se dirigindo para outro contingente de tricolores que aguardavam o elenco na porta do hotel para tirar fotos e recolher autógrafos.

‚ÄúUm √ļnico torcedor estava bem √† frente no alambrado, a dois metros do √īnibus e eu estava l√°. Sempre sou o √ļltimo a descer do √īnibus, em todos os jogos. Esse torcedor ofendeu a maioria dos jogadores, xingou de filho da p*** todos os jogadores, com rar√≠ssimas exce√ß√Ķes. Quando estou descendo, ele olha para minha cara e me chama de filho da p***, com policiais ao lado, seguran√ßas. Uma coisa √© liberdade de express√£o, outra √© voc√™ ofender as pessoas. Acho que isso √© um baixo n√≠vel, mas foi um √ļnico torcedor. Eu arranquei o celular da m√£o dele e falei: ‚Äėse voc√™ quer falar algo para mim, vamos l√° dentro e voc√™ conversa comigo, j√° que voc√™ √© t√£o corajoso aqui atr√°s da grade‚Äô. Nem ofendi ele, nem nada. A grande maioria da torcida nos recebeu muito bem, como sempre fazem‚ÄĚ, comentou Ceni.

Gazeta Esportiva