Após deixar o gramado logo aos dois minutos de jogo no último domingo, contra o Fortaleza, no Morumbi, Nikão realizou exame de imagem nesta segunda-feira que constatou uma avulsão no músculo adutor de sua coxa esquerda.

A lesão de Nikão é igual à que Luan sofreu logo no primeiro treino de Rogério Ceni à frente do São Paulo, no ano passado. No caso do volante, o departamento médico optou por um tratamento conservador, mas, sem o resultado esperado, acabou recorrendo à cirurgia posteriormente.

A avulsão acontece quando o músculo se descola do osso que o sustenta. A recuperação não é das mais curtas e exige paciência do atleta lesionado. Luan, por exemplo, só voltou aos gramados após cinco meses, atuando por pouquíssimos minutos em um único jogo, e, depois disso, amargou mais um mês fora das quatro linhas.

Nikão já iniciou tratamento no Reffis e será um desfalque importante para o técnico Rogério Ceni na semifinal da Copa Sul-Americana, que começa na próxima quinta-feira, em Goiânia, contra o Atlético-GO.

Essa é a segunda vez que Nikão desfalca o São Paulo por problemas físicos. No primeiro semestre o jogador, marcado por ter sido a contratação mais badalada do clube no início do ano, foi baixa para o técnico Rogério Ceni por um tempo considerável graças a um trauma no tornozelo.

Nikão também desfalcou o São Paulo durante a pré-temporada do elenco por ter contraído covid-19, tendo de se recondicionar fisicamente após o período de isolamento social.

Nesta temporada Nikão disputou 32 jogos pelo São Paulo, marcando quatro gols e anotando outras quatro assistências.

Gazeta Esportiva