Em entrevista ao podcast Inteligência Ltda, Diego Ribas contou sobre sua passagem na base onde foi aprovado e por não ter ficado:

“Eu cheguei ali, deram um colete e disseram: ‘Vai lá!”. Eu tive 10 ou 15 minutos no onze contra onze para mostrar – e fui feliz. É uma história interessante. Eram jogadores nascidos em 83/84 e eu sou de 85, eram mais velhos. Não deixaram eu sentar no ônibus, então eu fui a viagem toda em pé, de sacanagem. Tem essa zoeira, sabe?! Mas dentro de campo eu sabia jogar, então fiz dois gols em dez minutos. (…) Fomos para o alojamento e foi muito difícil para mim a decisão de morar longe da minha família e de meus amigos. Minha família sempre foi muito próxima, tenho duas irmãs, a família sempre estava reunida, tinha tudo isso, meu dia a dia, minha escola. Naquele momento, quando falaram que eu passei e deram o documento para meu pai assinar e ficar, eu disse que não queria.

Meu clube de coração. Eu ia morar lá no Morumbi mesmo, já estava tudo lá. Influenciou um pouco essa forma como fui recebido. Mas que não é maldade nenhuma; eram garotos também. Isso daí faz parte. Mas eu tomei essa decisão. Meu pai perguntou se eu estava maluco, era meu clube. Aí minha mãe me abraçou e falou para meu pai que se eu não queria, era para aceitar“

saopaulo.blog