O experiente Rafinha virou recentemente opção como zagueiro para o técnico Rogério Ceni no São Paulo. Contra o Atlético-MG, o jogador atuou pela direita em uma linha de três na zaga.

No Mineirão, o Tricolor Paulista atuou com Luizão pela esquerda, Miranda por dentro e Rafinha na direita. Igor Vinícius e Reinaldo foram os alas, responsáveis por atacar os corredores.

Rafinha já havia atuado assim contra o Juventude e por alguns minutos na goleada diante da Universidad Católica-CHI, ambas as partidas Morumbi. Rigoni e Moreira atuaram como alas, respectivamente.

O técnico Rogério comentou sobre essa nova função do experiente jogador. “O Rafinha, aos 36, pode se reinventar. Não tem altura, mas pode se reinventar em uma posição que… Desculpa, linha de três para o Rafinha chegar no fundo… Nós todos sabemos e o Rafinha sabe que é difícil agredir o fundo toda vez. Hoje ele teve melhor recomposição defensiva do que quando joga como lateral porque as distâncias que ele percorre são menores e ele tem um passe que poucos zagueiros no Brasil têm. Ele não se aperta com a bola, vem do jeito que vier, ele domina, acha um bom passe… Mas claro, tem a dificuldade da bola aérea, então em determinados jogos contra times que não sejam tão altos, é um cara que pode fazer essa função de terceiro homem de zaga. Em linha de quatro sim, ele pode trabalhar normalmente como lateral-esquerdo que apoia bastante, fazendo a compensação”, disse em coletiva de imprensa.

Com os retornos de Diego Costa e Léo contra o Palmeiras, a tendência é que Rafinha volte a ser opção na ala, disputando espaço com Igor Vinicius.

Na temporada, o jogador ex-Flamengo e Grêmio possui 30 jogos e é homem de confiança de Rogério Ceni. Rafinha chegou ao São Paulo neste ano e tem contrato até o final de dezembro.

Gazeta Esportiva