Aos 18 anos, Rodriguinho teve a estreia dos sonhos pelo profissional do São Paulo nesta quinta-feira, contra a Universidad Católica, pela volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Diante de mais de 47 mil torcedores no Morumbi, o jovem meio-campista marcou o quatro gol na goleada por 4 a 1 e teve seu nome gritado nas arquibancadas.

Rodriguinho é tido como uma das principais promessas das categorias de base do São Paulo. O meio-campista chamou atenção de Rogério Ceni por sua estatura e técnica apurada, sendo convocado para a viagem a Goiânia no último fim de semana, mas acabou cortado do jogo contra o Atlético-GO. Nesta quinta, porém, com oito desfalques por lesão, além de três atletas suspensos, a cria de Cotia acabou ganhando espaço no duelo de volta contra os chilenos.

“Rodriguinho trabalha com a gente, foi no último jogo para se adaptar, hoje teve sua primeira oportunidade. Fez o gol com 18 minutos em campo, na base era um camisa 10, aqui [no profissional] tem que aprender a marcar, jogar, dar conta principalmente nas marcações individuais, fazer o serviço que o Patrick estava fazendo em campo”, comentou Rogério Ceni.

Rodriguinho chegou ao São Paulo em abril de 2015 para atuar pelo sub-11 e passou por todas as categorias de base do clube, se sagrando campeão da Copa do Brasil sub-17, em 2021.

Por causa de casos como Marquinhos, que deixou o São Paulo precocemente por poder pressionar o clube a liberá-lo, já que havia assinado um contrato irregular aos olhos da Fifa quando ainda era menor de idade, o clube decidiu passar a promover ao profissional apenas atletas com vínculos longos e reconhecidos pela principal entidade do futebol mundial.

Como completou 18 anos recentemente, o garoto pôde renovar seu contrato com o Tricolor até 2027. Seu vínculo anterior era válido apenas até 2024.

“Cansou um pouco depois do gol, o que é normal. Jogadores que vão ser importantes para o São Paulo, vão ser titulares um dia, mas não podemos queimar etapas. São jogadores para colocar alguns minutos em alguns jogos e fazer com que eles cresçam, não ter pressa. Vão compor elenco, vão entrando devagarinho, conforme a necessidade. Pro Campeonato Paulista do ano que vem, são jogadores que podem jogar mais tempo, mais jogos, até pelo revezamento”, completou Rogério Ceni.

Gazeta Esportiva