Foi uma noite dos sonhos para todo torcedor do São Paulo. Humilhado pela virada sofrida na segunda-feira (20), o Tricolor entrou em campo ‘babando’, como se fala na gíria, e se superou física e mentalmente para sair do Morumbi com uma vitória por 1 a 0 sobre o até então temido Palmeiras. Acabou com a invencibilidade do rival que já durava 19 partidas. e sai com vantagem para o Allianz Parque na Copa do Brasil, fato. Mas há confiança para manter essa pegada?

‘São Paulo aprende com seus erros’, enfatizou este escriba no relato do Choque-Rei redentor de quinta. Isso é fato. O Tricolor jogou como sua torcida espera. Desempenhou como todos querem, ainda mais diante de um adversário tão impactante como o rival alviverde.

Na prática, foi o São Paulo que todos queriam. Um time que chutou os fantasmas dos gols sofridos no segundo tempo. Que inutilizou o ataque palmeirense. Era a equipe que Ceni elogiou pelos 90 minutos jogados na segunda, sepultados pelos dois gols sofridos nos acréscimos e que resultaram até em críticas deste escriba ao treineiro pela insistência em substituições descabidas no decorrer dos jogos. Nem elas aconteceram nesta quinta.

A noite perfeita ficará guardada na memória. Mas a questão que ela traz é: como mantê-la? No tabuleiro do xadrez são-paulino, é fundamental entender as peças à disposição. E não tem como ignorar os oito desfalques por contusão. Opa, pera… agora são nove, já Arboleda vai passar por cirurgia.

Há a questão física, de um time que continuou ficando ‘ de língua de fora’ no decorrer do segundo tempo, completamente esgotado fisicamente. É algo para se pensar.

O elenco provou o seu valor. Todos, absolutamente todos tiveram um bom desempenho. Mas haverá fôlego para se manter essa dinâmica?

Há a questão da priorização. Afinal, qual competição o São Paulo espera avançar? Dá pra sonhar em beliscar algo no Brasileirão? A grana da Copa do Brasil importa? A Sul-Americana abastece a necessidade de glórias internacionais do tricampeão mundial?

São questões e mais questões a serem analisadas e que a vitória sobre o Palmeiras, embora redentora, não responde. Pelo contrário, podem iludir as coisas e trazer uma euforia desnecessária ao Tricolor, que precisa mais do que nunca de pés no chão pelo menos até a abertura da janela e a provável chegada de reforços para encorpar, enfim, esse elenco para Ceni.

Opa, pera… eu disse reforços? mas e o dinheiro para isso?

Como se vê, a vitória alivia, mostra que o São Paulo ainda é o São Paulo. Mas há muitos problemas a serem resolvidos para que a temporada não seja totalmente descartável ao clube. No fundo, é isso que a torcida espera mais que as vitórias sobre o vizinho de muro de CT. Até porque isso, como se sabe e vê até agora, é rotineiro no Morumbi.

Lance!