Sem ter o destaque do argentino Calleri ou dos volantes Rodrigo Nestor e Pablo Maia, duas crias do CT de Cotia, um jogador do São Paulo tem ganhado espaço com o técnico Rogério Ceni, que o elogia sempre que possível. De dispensável no início desta temporada a capitão na reta final do Campeonato Paulista, o atacante Eder é uma das armas para a grande final contra o Palmeiras, neste domingo, no estádio Allianz Parque.

“É um jogador que, no ano passado, eu acho que não estava na melhor condição física possível. Ele trabalhou muito neste ano. É um cara muito profissional, que trabalha bastante todos os dias e, observando os treinamentos, era necessário dar essa oportunidade para ele“, afirmou Rogério Ceni.

O treinador tricolor diz que ele e Calleri formam uma dupla de ataque muito importante para o São Paulo. “Eder e Calleri são exemplos de doação na parte defensiva. Eu gosto muito das duplas de atacantes. Se lembrarmos, no Flamengo era Bruno Henrique e Gabriel, no Fortaleza era, muitas vezes, Welington Paulista e Deivid e outras vezes Welington e Romarinho. Gosto muito sempre da parceria, da proximidade”, contou.

Mesmo com a torcida sempre gritando o nome de Luciano nos jogos, é Eder que tem tido a preferência de Rogério Ceni para iniciar jogando. Nos últimos dois clássicos, o Majestoso (contra o Corinthians) e o Choque-Rei (contra o Palmeiras), o atacante começou de titular fez boas partidas e, de quebra, neste último, ainda foi o capitão da equipe, consolidando a boa fase e o espírito de liderança perante a equipe.

Gazeta Esportiva