O São Paulo que deve entrar em campo contra o Mirassol – no próximo domingo (13), às 16h, pela penúltima rodada do Campeonato Paulista -, tem a tendência de ser bastante diferente do que o treinador Rogério Ceni escalou nos últimos dois clássicos disputados pelo Tricolor Paulista. A razão seria as ausências no elenco, seja por lesão ou suspensão, além do desgaste físico de boa parte dos atletas.

Nos dois últimos jogos, nos clássicos contra Corinthians e Palmeiras, por exemplo, a escalação titular foi praticamente igual. De um jogo para o outro, houve apenas a saída de Welington para o retorno de Diego Costa. Léo jogou o Majestoso como zagueiro e o Choque-Rei na lateral-esquerda.

A estratégia de repetir a escalação foi pouco utilizada por Rogério Ceni, já que o treinador vem insistido no rodízio de atletas para evitar ao máximo as lesões, problema recorrente em 2021. E os  problemas médicos assombram o técnico às vésperas do início da fase final do Paulistão.

Para o duelo contra o Mirassol, Ceni não contará com Gabriel Sara, jogador do elenco que mais disputou jogos neste ano. As outras baixas por lesão ficam por conta de Gabriel e Igor Vinicius. Alisson, Patrick e Luan se recuperaram recentemente e ficam à disposição, mas ainda não estão 100%. Rafinha recebeu o cartão vermelho contra o Palmeiras e também está fora.

Com todos esses problemas à vista, Ceni pode deixar alguns jogadores em São Paulo para se preservar, visando o duelo da próxima quarta-feira, diante do Manaus, pela segunda fase da Copa do Brasil, no Morumbi. Nomes como Calleri, Eder, Arboleda, Rodrigo Nestor, Igor Gomes e Pablo Maia, que têm jogado com mais frequência, podem ser poupados.

Jogada10