A vitória do São Paulo sobre o Corinthians por 1 a 0, no último sábado (05), no Morumbi, pelo Campeonato Paulista, trouxe um casco que o time havia perdido nos últimos anos: O triunfo diante de seus rivais. Ainda mais sob o comando de Rogério Ceni, que desde que voltou ao Tricolor Paulista não sabe o que é perder um clássico.

A estreia de Ceni em clássicos, nesta sua segunda passagem, foi justamente contra o Corinthians, no segundo jogo do técnico pelo São Paulo e guarda semelhanças com o último: no Morumbi, Calleri fez um gol no início do primeiro tempo (aos 7 minutos), e o time segurou o rival para garantir o placar.

No clássico seguinte, o São Paulo enfrentou o Palmeiras no Allianz Parque, ainda pelo Brasileiro, e venceu por 2 a 0. Naquele jogo, o rival usou um time com poucos titulares, já que se preparava para a final da Libertadores. O Tricolor lutava contra o rebaixamento.

O terceiro clássico foi o de placar mais elástico até agora: um 3 a 0 no Santos, pela oitava rodada desse Paulistão, na Vila Belmiro, sendo considerada a melhor atuação coletiva da equipe na atual temporada.

Em todas as vitórias sob o comando de Ceni, o São Paulo não tomou um gol sequer, o que mostra o comportamento do sistema defensivo em jogos mais complicados, com bom desempenho, mesmo com as mudanças constantes feitas na escalação.

A sequência, mais a vitória de sábado sobre o Corinthians, deu ao treinador uma marca inédita: nunca um técnico do São Paulo conseguiu vencer os primeiros quatro clássicos em uma passagem pelo clube. Isso mostra a evolução do treinador na carreira, já que, em sua primeira passagem pelo Tricolor, em 2017, enfrentou oito clássicos contra Corinthians, Palmeiras e Santos. Venceu só dois jogos e teve aproveitamento de 37,5%.

Entretanto, o atual retrospecto mantém esperanças para o próximo confronto, mais um clássico: na quinta-feira (10),o São Paulo recebe o Palmeiras, às 20h30, no Morumbi, em jogo adiado da quarta rodada.

Jogada10