É inegável que Luciano tem muita moral com o time, a diretoria e principalmente com a torcida do São Paulo. O jogador que chegou no Morumbi no meio de 2020 e terminou o Brasileiro daquele ano como protagonista e artilheiro da equipe com 18 gols, se tornou peça chave e um dos líderes do elenco.

O único problema do camisa 11 do Tricolor Paulista são suas constantes lesões, que tiraram o jogador dos principais jogos de 2021. Mesmo assim, o clube vê no atleta uma futura liderança no elenco e pretende valorizá-lo com um novo contrato até 2024. O vínculo de Luciano se encerra no final de 2022.

Jogadores com o perfil de Luciano, mais aguerridos e falantes, tornaram-se prioridade na busca da diretoria por reforços. O atacante é citado como um exemplo a atletas que sobem da base, mais contidos.

A vontade do jogador também é outro ponto que conta a favor do Tricolor. Luciano se identificou com a torcida e o clube. No ano passado, por exemplo, na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Juventude, o camisa 11 não era esperado por Rogério Ceni, já que tratava uma lesão. Entretanto, o atacante foi a campo e marcou dois gols, que garantiram o São Paulo na série A.

Luciano começou 2022 lesionado e só voltou a ser relacionado no clássico contra o Santos, domingo passado. Na última quinta-feira (24), entrou no segundo tempo e jogou por cerca de 30 minutos no 0 a 0 contra o Campinense, seu primeiro jogo na atual temporada.

Jogada10