Luciano vive a expectativa de, enfim, fazer sua estreia na atual temporada nesta quinta-feira, contra o Campinense, na Paraíba, pela primeira fase da Copa do Brasil. O jogador, que passou boa parte deste início de ano se recuperando de uma lesão, voltou a ficar à disposição do técnico Rogério Ceni no último domingo, no clássico contra o Santos, na Vila Belmiro.

O camisa 11 do São Paulo se reapresentou em 10 de janeiro para testes de covid no CT da Barra Funda junto com o restante do elenco. No dia seguinte, o grupo iniciou os trabalhos de pré-temporada, mas Luciano, se queixando de dores na panturrilha esquerda, se limitou a trabalhos no Reffis. Após exames, o jogador foi diagnosticado com uma contratura no local.

Desde então, Luciano foi obrigado a assistir do sofá os sete primeiros jogos do São Paulo na temporada, sem a possibilidade de concorrer com novos e velhos nomes do setor ofensivo tricolor.

O atacante viu Eder, que teve um 2021 para se esquecer, ressurgir com Rogério Ceni, Calleri marcar gols importantes e os reforços Alisson e Nikão ganharem espaço com o treinador são-paulino exercendo uma função mais móvel no setor ofensivo, como Luciano se acostumou a fazer nos últimos anos.

No último domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro, havia a expectativa de Luciano ganhar alguns minutos, mas não saiu do banco de reservas. Com apenas uma semana de pré-temporada após se recuperar da contratura na panturrilha esquerda, o atacante tem sido tratado com bastante cautela pela comissão técnica, que quer ter a certeza de que ele possui condições de entrar em campo sem o risco de uma nova lesão.

Agora, já com duas semanas de preparação e participando dos treinamentos sem qualquer restrição, Luciano tem mais chances de ganhar alguns minutos de Rogério Ceni contra o Campinense, claro, dependendo das circunstâncias, uma vez que a primeira fase da Copa do Brasil é disputada em jogo único, sem margem para erros.

Gazeta Esportiva