Com contrato válido apenas até o fim da atual temporada, Luciano, um dos xodós da torcida tricolor, deve permanecer no São Paulo. O clube e seu staff abriram conversas há algum tempo e existe um otimismo das partes pelo desfecho positivo das tratativas, que pode ocorrer nos próximos dias. A informação foi publicada inicialmente pelo ge e confirmada pela Gazeta Esportiva.

Luciano pode assinar um pré-contrato com qualquer outro clube a partir de junho e deixar o São Paulo de graça ao fim do ano. Porém, o desejo do jogador é permanecer no Tricolor, onde conquistou o carinho da torcida.

Luciano chegou ao São Paulo em 2020, por indicação de Fernando Diniz, que havia trabalhado com ele no Fluminense. Em baixa na carreira, o atacante chegou ao Morumbi como uma aposta e rapidamente se transformou em uma das referências da equipe, terminando o Brasileirão daquele ano como artilheiro, ao lado de Claudinho, com 18 gols.

É verdade que a última temporada de Luciano foi marcada por problemas físicos, mas o jogador ainda conta com um status importante no elenco comandado por Rogério Ceni, agradando não só pelo que pode agregar dentro de campo, mas também por seu comportamento fora dele.

O perfil de Luciano, inclusive, foi tomado como exemplo pelo técnico Rogério Ceni na temporada passada. O comandante tricolor gostaria de contar com mais atletas que não se conformam com resultados adversos, cobrando o elenco e se destacando pela personalidade mais forte, que é o caso do atacante são-paulino.

No ano passado, brigando contra o rebaixamento, o São Paulo contou com gols importantes de Luciano, embora ele tenha ficado um bom tempo fora dos gramados. Contra o Juventude, por exemplo, marcou dois gols na vitória por 3 a 1 que acabou com qualquer chance matemática de descenso do Tricolor. Um pouco antes, no clássico contra o Palmeiras, o camisa 11 não só balançou as redes como também deu uma assistência no triunfo por 2 a 0 em pleno Allianz Parque.

Desde que chegou ao São Paulo Luciano já disputou 77 jogos e marcou 31 gols, ostentando uma média de 0,4 gol por jogo.

Gazeta Esportiva