Um ato do goleiro Jean pode custar caro para ele e para o São Paulo. Antes da decisão da Supercopa do Paraguai, contra o Olímpia, o jogador provocou a torcida adversária e acabou sendo expulso antes do duelo começar. No fim, viu o Cerro Porteño, sua equipe, ser derrotada por 3 a 1.

Sendo assim, o clube deve reavaliar a compra do goleiro junto ao São Paulo. A declaração foi dada pelo técnico Arce. â€œVeremos como isso se resolverá no futuro com o parecer e as determinações da diretoria e também se continuamos (com a negociação)”, disse o treinador.

Jean estava emprestado ao Cerro Porteño desde o início do ano. Com isso, o clube paraguaio tinha feito um acordo com o São Paulo pela compra do arqueiro por 1,1 milhão de dólares (R$ 6,2 milhões). Por sua vez, Paulo Pitombeira, empresário do atleta, preferiu não comentar sobre a situação.

Em declarações enviadas por sua assessoria de imprensa, Jean pediu desculpas pelo gesto que levou à sua expulsão precoce no clássico e alegou que fez um “Vapo”, consagrado no Brasil pelo volante Gerson, ex-Flamengo e atualmente no Olympique de Marselha, da França.

“Fiquei muito chateado por não poder ajudar meus companheiros num jogo tão importante, mas reitero que fui mal interpretado”, disse. Aos 26 anos, Jean foi contratado do Bahia pelo São Paulo por cerca de R$ 9,8 milhões e ficou na reserva na maior parte do tempo em que esteve no Tricolor.

No final de 2019, ele foi acusado e preso por agressão à sua ex-esposa durante as férias nos EUA, e acabou afastado pela diretoria. Além disso, isso também fez com que o arqueiro perdesse mercado no Brasil, tendo que se aventurar em novos países da América do Sul.

Mercado do Futebol