Análise crítica tem que existir antes de pedir a demissão de um treinador

 Essa semana o assunto do momento é uma suposta demissão do técnico Hernán Crespo, ao ponto do presidente Julio Casares e o Carlos Belmonte, viessem através de suas redes sociais, assegurar a permanência do treinador.

Alguns pontos deveriam ser analisados como:

 A parte futebolística obteve evolução?

Quando observado o trabalho anterior, fica nítido a evolução e as mudanças de estilo de jogo que a grande maioria gostaria que acontecesse.

O São Paulo hoje tem um time que a parte defensiva é mais sólida. Os adversários criam pouco e os gols que estamos levando são de falhas individuais, temos um time mais vertical e objetivo e que busca as vitórias, resumindo, um time mais cascudo.

A comissão indicou o melhor jogador do elenco atual, e que faz diferença em campo, o Emiliano Rigoni. Teve jogadores que caíram de produção? Sim, mas outros surgiram e evoluíram como Nestor, Liziero, Welington.

Se for tomar como parâmetro em uma visão empresarial;

Vocês demitiriam um funcionário que até o momento cumpriu e superou as metas propostas? Um Funcionário que em uma de suas obrigações te entregou um resultado que a empresa não tinha a ao menos 8 anos (título saindo da fila)?

Qual real vexame tivemos esse ano? Fase de grupo da libertadores, Lanús, Mirassol?

Os erros de arbitragem e os desfalques que o time teve sequência inesperada de lesões atrapalharam?

Tem certeza, torcedor, que uma mudança de comando técnico resolveria?

São muitas perguntas e cabem muitas reflexões, mas acredito que a manutenção de um técnico competente seja o princípio do caminho de conquista constantes, isso já aconteceu outras vezes, poderá acontecer novamente.

Tomem cuidado com alguns veículos da mídia, a intenção várias vezes é atrapalhar…

Rafael Dias de Almeida