Vários clubes da Série A do Campeonato Brasileiro têm se movimentado e contratado jogadores importantes. O Flamengo contratou Kenedy e Andreas Pereira, o Corinthians repatriou Willian, Renato Augusto, Giuliano e Roger Guedes, o São Paulo trouxe Calleri, o Internacional trouxe Gabriel Mercado. Mas como os clubes da elite voltaram a ter poder de investimento para contratarem atletas deste nível?

Diretor e CEO do Internacional, Giovane Zanardo concedeu entrevista ao programa Dividida, de Mauro Cezar Pereira, e explicou as novas aquisições de clubes da Série A. Segundo ele, várias diretorias deram passos atrás e essa atitude foi fundamental para que o poder de investimento voltasse.

“Se de um lado nós temos alguns exemplos negativos, em que eventualmente uma atitude menos responsável de gestão comprometeu o futuro do clube, de outro nós temos clubes que deram um passo atrás ao longo da sua história, fizeram um sacrifício, fizeram o que chamamos de dever de casa, e a partir desse sacrifício, desse dever de casa, criaram uma capacidade de investimento que lhes permite hoje, por exemplo, serem extremamente competitivos.”

Sem citar nomes, Zanardo disse que alguns trabalhos são um esforço de anos de gastos pequenos e times mais frágeis para “arrumar a casa”.

“O problema é que nós olhamos só o hoje e aí, quando nós olhamos alguns exemplos, e aqui não quero citar nomes, mas você sabe disso, de clubes brasileiros que têm sido protagonistas nos últimos anos, e com times diferenciados, com capacidade de investimento no campo, nós olhamos o hoje, admiramos e achamos bonito, mas esquecemos três, quatro, cinco, dez anos atrás, que essa capacidade de investimento hoje foi construída a partir de uma gestão anterior, de atitudes, de medidas e de ações que foram implementadas lá atrás, que permitiram e que enxergaram que ali na frente, no caso hoje, essa capacidade de investimento faria diferença.”

Torcedores.com