Gabriel Neves revelou nesta sexta-feira que chegou a conversar com o técnico Hernán Crespo na época que recebeu a primeira proposta do São Paulo, em março deste ano. O volante uruguaio não se transferiu para o Tricolor na ocasião, mas a partir de então passou a sonhar com a possibilidade de vestir a camisa do clube brasileiro em uma outra oportunidade.

Quis o destino que essa oportunidade tenha surgido alguns meses depois. Aos 24 anos, Gabriel Neves chega ao São Paulo como uma joia do futebol uruguaio e com a missão de fazer “sombra” a Luan, hoje titular como primeiro volante, mas que vem tendo cadeira cativa no time justamente pela falta de concorrência.

“Havia falado com ele [Crespo] quando houve o interesse na última vez, agora ele me recebeu, nos falamos no treinamento. Já vinha seguindo-o quanto estava no Defensa y Justicia, gosto muito do seu estilo de jogo, posso me adaptar bem a ele”, disse Gabriel Neves.

O volante uruguaio também externou sua admiração pela carreira que seu novo técnico teve como jogador de futebol.

“Tê-lo como técnico, sabendo o que ele foi como jogador, é um orgulho. Espero orgulhá-lo também”, completou.

Com passagem pela seleção uruguaia – foi convocado para defender seu país nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, contra Colômbia e Brasil -, Gabriel Neves também conversou com seu compatriota, Matias Viña, ex-Palmeiras, antes de se transferir ao São Paulo, chegando com um maior conhecimento de como é o futebol brasileiro e a capital paulista.

O volante já iniciou sua rotina de trabalho com o elenco e, inclusive, participou do jogo-treino contra o São Bernardo, nesta sexta-feira, no CT da Barra Funda. É fato que Gabriel Neves ainda precisa se adaptar ao ritmo de jogo do futebol brasileiro e conhecer melhor seus companheiros, mas há dias suficientes até 12 de setembro para que ele possa ficar à disposição contra o Fluminense, no Rio de Janeiro.

Gazeta Esportiva