Há pouco ocorreu a coletiva de imprensa para apresentação oficial de Gabriel Neves como jogador do São Paulo futebol clube.

Durante a entrevista foi questionado sobre o técnico Crespo, adaptação ao futebol brasileiro e o que poderá implantar no nosso futebol e até de seu bigode, que já se tornou sua marca.

No que se refere à disputa por posição disse querer ajudar o grupo e que todos o trataram bem . Já sobre jogar com a camisa 10 ou 5 disse sentir-se bem em qualquer posição no meio-campo.

Sobre o bigode, disse ser sua marca e que o tem desde muito jovem.

Abaixo a íntegra das perguntas (Fonte Globo Esporte.com)

Como foi a chegada com os estrangeiros aqui? Quais características do futebol uruguaio conseguiria implementar aqui?

– Me ajuda muito na adaptação e me receberam muito bem, os argentinos me cercaram e me ajudaram. O professor e a parte de comissão me ajudaram e vão me ajudar nesses primeiros dias. É um futebol muito diferente, acho que a questão da intensidade pode me ajudar aqui.

Você teve contato com o Crespo? De que maneira você enxerga o jeito de trabalhar do Crespo?

– Havia falado quando houve o interesse no passado. Agora, ele me recebeu e falamos um pouco no treinamento. Me encanta. Já vi seu estilo no Defensa y Justicia e me agrada. Sabendo o que ele foi como jogador e o que ele faz como técnico, eu sinto um orgulho de estar com ele.

Quais foram os conselhos de Matías Viña, ex-Palmeiras? Você é um 10 que joga com a 5?

– Somos muito amigos, ele me felicitou quando se encerrou a negociação. Falamos quando ele veio para cá. Ele falou que o ritmo é outro e se joga muito mais; ele ainda tem me ajudado nessa chegada. Eu me sinto bem em qualquer lugar do meio-campo, faço de ‘enganche’, de volante; eu me sinto bem em qualquer posição

Tem uma homenagem o uso do bigode? Gostou que o São Paulo usou o bigode como uma marca?

– Tenho desde jovem, gosto ter o bigode. Com respeito ao outro (questionamento), me trataram bem e fiquei encantado que usaram o bigode para me apresentar.

Como você trata a disputa de posição? Já conversou com os colegas de meio-campo?

– Aqui tem opções boas, quero ajudar e fazer o meu. Todos me trataram muito bem, inclusive quem joga na minha posição. Espero aprender com eles e ajudar no que precisarem.

Como ficou com a negociação que não tinha dado certo? Como foi saber que o São Paulo voltou a negociar?

– Havia uma instância que o São Paulo se interessou em mim, me animei com a possibilidade de vir, mas caiu, me frustrou um pouco. Agora deu certo e quero desfrutar do clube.

Como você chega ao São Paulo? Quais as suas condições físicas?

– Alguns jogos não joguei, mas me sinto bem fisicamente. Tenho que me adaptar um pouco aqui, é um tempinho de adaptação que preciso. Estou bem e com muitas ganas de entrar no ritmo.

Qual sua impressão do clube e do elenco? Como você se define em campo?

– A verdade é que estou muito contente, me receberam muito bem. É um clube enorme. Estou muito feliz. Gosto de jogar em qualquer lugar do meio-campo, posso ser volante ou meio-campista. Quero ajudar. Posso jogar em qualquer posição.