No último dia 14 de julho escrevi um texto cobrando a satisfação de alguém do São Paulo em relação a enorme quantidade de jogadores machucados. De lá para cá nada mudou. Ninguém deu a ‘cara a tapa’ e atletas continuam tendo problemas físicos. A maioria muscular. Depois de treinar normalmente (de acordo com o site oficial) o zagueiro Arboleda foi desfalque no último domingo (22) na vitória modorrenta sobre o Sport na Ilha do Retiro.

O São Paulo é o clube da Série A com mais problemas médicos na temporada. Com o equatoriano, o Tricolor chegou ao 33º caso. Como provavelmente não haverá uma explicação (a não ser questões como excesso de jogos, falta de férias e troca de comando técnico) decidi falar sobre outro detalhe que tem irritado os são-paulinos: nunca o departamento médico divulga prazos de recuperação dos machucados.

Por que essa postura? Por que isso acontece. Para isso também não há uma explicação oficial. Afinal de contas, qual o problema de divulgar uma previsão? Se é previsão, ela pode ser antecipada, pode ser confirmada ou pode ser adiada. Normal. Depende do organismo de cada jogador machucado. Mas é só uma previsão. Saber o dia exato que o atleta vai voltar a jogar é quase impossível. Até porque depende dele também dizer que está bem e confiante para entrar em campo. Então volto a afirmar: não há motivos para esconder essas previsões.

De qualquer forma é possível citar uma das principais, senão a maior, razão para o DM não revelar as probabilidades de retorno de um contundido. Para isso, temos que voltar ao ano de 2011. Desde o retorno de Luis Fabiano da Espanha e o â€˜mico’ que o São Paulo passou com sucessivos adiamentos da reestreia do ídolo, nunca mais uma previsão foi divulgada para um jogador com problemas médicos.

RELEMBRE A HISTÓRIA:

No final do mês de março de 2011 o São Paulo anuncia, para delírio da massa tricolor, que repatriou o centroavante que estava no Sevilla da Espanha. Com dores no joelho direito devido a uma fibrose (cicatriz interna rígida na operação que tinha sido submetido na Espanha), porém, ele demorou muito para jogar de novo com o manto Tricolor. De início, optou-se por um tratamento convencional, sem intervenção cirúrgica.

O primeiro prazo divulgado foi de quase um mês de ansiedade. A expectativa era de que o Fabuloso estreasse no dia 27 de abril, contra o Goiás, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Mas as dores insistentes no joelho direito adiaram a reestreia pela primeira vez. A previsão então foi para uma semana depois: 4 de maio. A partida seria diante do Avaí pelas quartas de final da mesma Copa do Brasil.

Só que – de novo – o retorno de Luis Fabiano foi postergado. O médico José Sanchez na época começou naquele momento a cogitar a hipótese de uma nova cirurgia. A ideia era esperar por mais 20 dias mantendo o tratamento convencional. A festa foi programada então para o jogo diante do Figueirense, dia 28 maio no Morumbi, pela 2ª rodada do Brasileirão.

‘mico’ começou a se configurar nesse momento. Porque foram feitos e distribuídos até flyers (cartazes) para a torcida anunciando a tão esperada reestreia do Fabuloso. A torcida se agitou e prometeu lotar o Morumbi. O problema é que na quarta e na quinta-feira da semana que antecedeu esse jogo, o centroavante reclamou novamente de dores no joelho direito. Com isso, o clube foi obrigado a marcar e divulgar a cirurgia para a retirada da fibrose.

Por fim, Luis Fabiano só reestreou pelo São Paulo no dia 2 de outubro de 2011. Infelizmente foi em uma derrota para o Flamengo por 2 a 1 em pleno Morumbi pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.

‘MICO’ de tantas previsões de retorno que não aconteceram fez com que o São Paulo nunca mais divulgasse previsão para nenhum atleta contundido. Pode pesquisar que você não vai achar nenhuma outra previsão de retorno depois desse caso. Repito que oficialmente não há nenhum posicionamento e nenhuma confirmação do São Paulo de que o ‘caso Luis Fabiano’ em 2011 seja o motivo dessa postura.

Mas é fato que após isso e até hoje é preciso buscar nos bastidores as informações dos machucados ou então pesquisar com outros especialistas uma média de recuperação de cada caso específico de acordo com o histórico da medicina esportiva.

https://jornalismotrescores.blogspot.com/2021/08/por-que-nao-divulgar-prazos.html?fbclid=IwAR3YYwH4xtCzWqjiDpMTEcXzD49IOSv3qoXYjCObviyfl_Ea2nUXdPnzvro