O jovem meio-campista Liziero do São Paulo tem sido fundamental no esquema de Hernán Crespo e superou lesões em uma temporada repleta por problemas físicos. A temporada 2020 de Liziero foi afetada por uma lesão no tornozelo direto e o meia foi submetido a cirurgia perdendo a temporada toda.

A boa fase de Liziero tomou destaque na partida contra o Palmeiras na Libertadores durante essa semana, o meia foi responsável por 22 desarmes que o São Paulo fez durante o jogo. Com Luan sendo sua dupla Liziero tem uma média de 3,2 desarmes por partida na competição continental, a sétima melhor marca de todo o torneio, de acordo com o “SofaScore”.

Mas não são apenas os números que transformaram Liziero em peça importante do São Paulo na temporada. O alto número de lesões fez com que Hernán Crespo precisasse rodar o elenco e fazer com que alguns atletas desempenhassem funções diferentes das que estão acostumados. No caso de Liziero, ele assumiu a posição de primeiro volante enquanto Luan se recuperava de um edema na coxa esquerda, no início do Brasileirão, que o tirou de seis jogos do São Paulo.

“Liziero é um grande jogador. Esse resultado não está chegando e o único culpado está aqui [apontando para si], não está nos jogadores. É um grandíssimo jogador, de grande personalidade, que pode errar porque a vida é saber errar, ter muita personalidade para continuar a jogar. Acredito que é um jogador muito importante como todos os outros. Se tem um culpado, sou eu”, elogiou Crespo depois do jogo contra o Cuiabá.

Longe do departamento médico, ele conquistou a confiança de Hernán Crespo e igualou 2019 como seu segundo ano mais atuante, com 29 partidas. A próxima meta é ultrapassar os 40 jogos feitos em 2018, seu primeiro ano definitivo no profissional do São Paulo.

Mercado do Futebol