O técnico Hernán Crespo comentou nesta sexta-feira sobre as diferenças entre o futebol sul-americano e europeu. Em coluna para o jornal argentino La Nación, o treinador do São Paulo destacou a ausência de amistosos entre países de ambos os continentes e afirmou que o futebol local está “perdendo terreno” em comparação ao da Europa.

“Perdemos a possibilidade de nos testarmos com os europeus, de encontrarmos o nosso ponto de atraso ou de evolução, e eles impuseram amistosos ​​contra equipes que não são referências. Perdemos os duelos com a Alemanha, com a Itália, com a Inglaterra, que nos serviram de verdadeira medida. Futebol e emocional, claro, mas também físico”, escreveu.

“Estamos perdendo terreno. Historicamente, os europeus eram fisicamente mais fortes do que os sul-americanos e tinham menos virtudes técnicas do que nós. Exceto por grandes exceções, é claro, não vamos fazer uma regra. Mas eles não pararam de crescer”, completou o comandante tricolor.

Crespo explica seu ponto de vista ressaltando que os europeus aperfeiçoaram os aspectos que já iam bem e melhoraram os que tinham dificuldades, enquanto os sul-americanos perderam uma de suas principais características: o drible.

“(Os europeus) melhoraram o que faziam bem e também aprimoraram o déficit, e na América do Sul não driblamos mais como antes. Com exceção de Messi e Neymar, você não vê mais tantos vestígios que representam a nossa história. Nossos dribles, nossos instintos e nossa agressividade competitiva foram suficientes para igualar e até superar os europeus. Hoje, ficamos com a ferocidade competitiva”, justificou.

A declaração de Crespo acontece em meio às disputas da Copa América e da Eurocopa. Apesar da avaliação negativa, o treinador destaca que o futebol sul-americano não pode se conformar com a situação. “A Europa tem uma vantagem sobre nós. Teremos que lutar, reivindicar. O que não podemos fazer é aceitar, é claro, que nosso destino seja a conformidade”, disse o técnico.

Gazeta Esportiva