Em entrevista à SPFCtv, Zetti comentou sobre seu começo de trabalho e os frutos dele no SPFC:

“Acho que esse começo está sendo feliz. Primeiro retomei meu posto: gostar da posição de goleiro. Trabalhar com goleiros era um projeto há muito tempo. Principalmente voltar ao São Paulo, onde eu tenho as marcas e títulos, isso é importante. E ter essa representatividade com os goleiros de Cotia é importante também. Eu abandonei os gramados como atleta em 2001. Depois, em 2009, parei de ser treinador e fui fazer outras coisas como rádio e televisão, onde eu estava há algum tempo. Voltar ao campo é gostoso, é o que eu sei fazer, foi onde eu me criei na profissão de goleiro. Estou feliz por poder ensinar um pouco do que eu aprendi.

“O trabalho já começou, a gente está direto a semana toda das 6h da manhã até a noite. Mas é uma coisa que compensa no final, pois podemos ver esses goleiros jovens que são o futuro do São Paulo. É uma relação diferente, apesar da minha idade, do tempo que joguei e o que eu fiz dentro do São Paulo com títulos. Claro que eles têm uma imagem diferente do Zetti: que jogou, que estava dentro de campo. É um pouco diferente quando você está próximo dos garotos, mas o respeito é muito grande. Quero passar tudo o que eu sei, essa é a melhor resposta para que o São Paulo tenha um futuro brilhante em relação aos goleiros.

Vem boas safras, temos que lapidar e ter paciência com quase todos os garotos porque é o tempo que formará esses meninos na posição. Goleiro é uma posição que você tem que repetir muito os treinamentos. Telê Santana falava que a repetição de movimentos te deixava próximo da perfeição. Com o goleiro não é diferente, tem que repetir para sempre melhorar e não tomar gol. Goleiro não pode tomar gol“

saopaulo.blog