No São Paulo desde 2015, Shaylon parece, enfim, se firmar no clube como profissional. Promovido em 2017, o meia foi emprestado nas duas últimas temporadas e não vinha figurando nos planos do Tricolor para 2021 até a chegada de Hernán Crespo, que viu no atleta uma chance de preencher carências do elenco.

Na última terça-feira, contra o Sporting Cristal, pela Libertadores, Shaylon foi titular pela primeira vez sob o comando de Crespo e jogou os 90 minutos. Antes, o meia já havia entrado nas duas últimas partidas pelo torneio continental e nas quartas de final do Paulistão, contra a Ferroviária.

“O Crespo é um grande treinador. Está sendo muito positivo para mim esse início de trabalho com ele, e espero cada vez mais retribuir a confiança dentro de campo”, disse Shaylon.

Sem espaço no São Paulo nos últimos anos, o meia foi emprestado para o Bahia, em 2019, e Goiás, em 2020. Com contrato com o Tricolor válido até janeiro de 2022, Shaylon quer aproveitar essa ascensão com Crespo para, quem sabe, renovar seu vínculo.

“Estou com a cabeça focada no São Paulo e sou jogador do clube. Fui inscrito no Paulista e pude ajudar o time na Libertadores. Estou focado e quero ajudar meus companheiros sempre que possível”, prosseguiu.

O retorno ao clube também fez seu nome entrar para a história do São Paulo. Shaylon estava no banco de reservas no último domingo, na final do Campeonato Paulista contra o Palmeiras, integrando o elenco responsável por quebrar um tabu de mais de oito anos sem título e de 16 anos sem um Estadual.

“Com certeza é sempre muito importante conquistar um título, e isso aumenta a confiança de todos por aqui. Mas, agora temos que seguir trabalhando para conquistar nossos objetivos na sequência da temporada. O começo da temporada foi muito bom e queremos seguir nesse ritmo”, comentou Shaylon.

“Meu objetivo era, sem dúvidas, permanecer no São Paulo e conquistar títulos por aqui. Estou muito feliz e vou seguir trabalhando bastante para disputar o meu espaço”, concluiu.

Gazeta Esportiva