Pressionado pela seca de títulos desde 2012, o São Paulo começou a temporada com o Paulistão como sua ‘Copa do Mundo’. O técnico Hernán Crespo, uma das maiores novidades da equipe para 2021, escalou seus melhores jogadores, até para tentar encontrar uma formação ideal. As vitórias vieram, tanto no estadual como na Libertadores, mas a maratona de jogos começa a fazer suas vítimas em um momento decisivo nas duas competições.

Mattos compara o planejamento do São Paulo com o do Palmeiras, que usou o estadual como laboratório e conseguiu se classificar com um time alternativo, repleto de jovens e reservas. “A estratégia do Crespo me pareceu bastante arriscada para o restante da temporada. Era super compreensível, pois o time é completamente diferente daquele do Diniz e precisava treinar. Mas era meio previsível que estouraria os jogadores. A estratégia do Palmeiras para o resto da temporada é mais acertada”, analisou.

Para Renato, o São Paulo corre risco de comprometer suas pretensões em campeonatos importantes. “Essa obsessão pelo Paulista podia custar caro e já está custando. São três jogadores que ficarão de fora por problema muscular. Acho que o São Paulo fez uma aposta errada. O time tem capacidade de brigar por Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores. Tem ambições bastante concretas e resolve apostar tudo no Paulista. Daí ganha o Paulista, perde os outros três e acha que a temporada está salva?”, criticou.

Mattos concorda. “O principal jogador do São Paulo é também o mais velho. [Daniel Alves] Não vai aguentar o tranco. É uma peça fundamental. Precisa conquistar o título, pois tem o jejum desde 2012, mas não dá para estourar o time. Tem tudo para disputar coisas importantes, mas você estoura o time no Paulista por causa de uma obsessão. Eu acho uma falta de inteligência”, concluiu.

UOL