O São Paulo vive grande fase neste início de temporada. Dono da melhor campanha e do melhor ataque do Campeonato Paulista, o time comandado por Hernán Crespo vem empolgando a torcida com as vitórias e atuações, mas os atletas parecem bem menos deslumbrados com o momento.

Chegando a seis vitórias consecutivas em 14 dias, o São Paulo vem convencendo até os tricolores mais rígidos, e os jogadores que vinham sendo bastante cornetados ganharam uma trégua com a “turma do amendoim”. Um deles é Vitor Bueno, que atualmente exerce a função de centroavante, invenção de Hernán Crespo, e já soma dois gols em dois jogos como titular.

“Sempre tive curiosidade de jogar nessa posição, porque uma das minhas principais características é o chute. Ficamos muito tempo sem jogo, tivemos tempo para treinar. Ele [Hernán Crespo] veio conversar comigo, perguntou se eu queria ser testado naquela posição, disse que sim. Ele disse que estava disposto a me ajudar. Nessa posição fico a maior parte do jogo sem relar na bola, mas quando ela vem, é pra fazer o gol”, disse Vitor Bueno ao SporTV.

Antes do duelo desta sexta-feira, com o Santo André, Vitor Bueno já havia marcado o gol da vitória contra o Guarani, por 3 a 2, no Morumbi, atuando como centroavante. Foi o primeiro jogo do camisa 12 tricolor exercendo a nova função sob o comando de Hernán Crespo.

Mas, o bom momento não ilude Vitor Bueno, que fez questão de enfatizar a necessidade de o São Paulo evitar o famoso “oba-oba”, até porque há poucos meses o time deixou escapar um título que era dado praticamente como ganho.

“O segredo é trabalhar mais do que estamos trabalhando, pés no chão, somos prova viva de que não podemos nos exaltar com as vitórias. Pezinho no chão, humildade, porque vem coisa boa pela frente.”, completou.

Gazeta Esportiva