Em entrevista ao GE, Belmonte fez uma ponderação sobre o trabalho no futebol e como está enxergando Crespo à frente do time:

“Esses três meses foram muito intensos e muito diferentes. Assumimos no dia 2 de janeiro, o São Paulo era líder do Brasileiro, a comissão técnica do Diniz aqui estava, tinha ainda a permanência do Raí. O que fizemos naquele momento, eu e o Muricy? Foi o de não fazer absolutamente nada. Deixar que o processo continuasse do jeito que ele vinha, com o Diniz e o Raí. Teve aquela derrota, aquele 5 a 1 no Morumbi para o Inter. Em seguida tivemos o empate contra o Coritiba e a derrota para o Atlético-GO. A gente achou que era o momento que não dava mais para continuar. Com o Crespo, começamos a tomar conta de toda a operação, estamos muito felizes até este momento. A gente tem visto muita intensidade, trabalho muito forte, que a gente acredita que vai ter resultados.”

saopaulo.blog