Além de Hernán Crespo, o São Paulo contratou cinco profissionais que foram incorporados à comissão técnica da equipe principal. Internamente, o Tricolor celebrou a chegada do preparador físico Alejandro Kohan, que é visto como um dos principais nomes de sua área de atuação na América do Sul.

Apesar de trabalhar focado no condicionamento dos atletas, Kohan é peça fundamental no desenvolvimento do modelo de jogo proposto por Crespo. Em entrevista ao Anotações Tricolores, o preparador comentou sobre sua metodologia e abordou detalhes dos conceitos pregados pelo técnico argentino.

“Faz muitos anos que a minha filosofia de trabalho tem a ver com um olhar muito integral para o futebol, de trabalhar holisticamente, de maneira integrada com treinador, para integrar as partes técnica, tática, física e emocional, que também tem muita importância dentro do processo de treinamento”, afirmou Kohan.

“Eu sempre tive esta visão de que era muito importante apoiar ao técnico com a metodologia, para desenvolver qualidades físicas em função de uma maneira de jogar futebol. Há muita compatibilidade entre Crespo e eu, na maneira de ver o futebol. Ele é o técnico, e eu sou o preparador físico, mas eu amo uma maneira de treinar e também amo uma maneira de jogar futebol. Não é qualquer maneira de jogar que me importa. Eu gosto de trabalhar com um treinador que tem uma visão de jogo e de expressar o jogo de uma determinada forma: iniciar o jogo, desenvolvê-lo, chegar ao gol adversário com um jogo coletivo, recuperar a bola rápido, tentar jogar no campo adversário o máximo de tempo que se conseguir… respeitar muito a bola”, completou.

A comissão técnica de Crespo nem sequer completou dois meses de trabalho no Brasil, mas Kohan já está impressionado com o refino técnico dos jogadores no país..

“O que mais chama a atenção, estando no dia a dia do São Paulo, é ver a enorme qualidade técnica que têm os jogadores aqui no Brasil. Eles têm uma qualidade técnica superlativa e marcante. Eles têm uma facilidade de parar, passar a bola, chutar… uma técnica muito distinta, que é o que destaca o jogador brasileiro no mundo”, analisou o profissional.

Por fim, Kohan avaliou o tempo livre que a comissão ganhou para treinar o São Paulo no CT da Barra Funda, visto que o Campeonato Paulista foi paralisado, pelo menos, até o dia 30 de março.

“Está sendo muito útil poder trabalhar todos os dias com a equipe, porque, quando assumimos o time, já tivemos a primeira partida 48 horas depois. Tivemos poucas sessões de treino para preparar a equipe em função da ideia que Hernán e nós, como comissão técnica, temos. Então, estamos aproveitando muito cada dia, para que, quando voltarmos a jogar, a equipe vá ganhando a dinâmica e a intensidade que pretendemos”, finalizou.

Gazeta Esportiva