Com a suspensão dos jogos do Campeonato Paulista até o dia 30 de março, Hernán Crespo ganhou uma intertemporada inesperada no São Paulo. O técnico argentino, que teve pouco tempo para conhecer e treinar os jogadores antes do início do estadual, tem aproveitado o período sem partidas para testar variações no Tricolor.

Nos primeiros jogos do São Paulo na temporada, Crespo já deixou claro que tem a predileção pelo sistema com três zagueiros. Por mais que queira construir um padrão de jogo no time, o treinador entende que é importante que os jogadores saibam aplicar os conceitos e ideias em diferentes formações.

Afinal, é possível ter os princípios básicos do jogo proposto por Crespo, como a saída de bola por baixo e a ocupação racional dos espaços, em qualquer sistema tático. Dessa forma, o treinador treina a equipe em diferentes cenários no CT da Barra Funda, acostumando os jogadores a formação com uma linha de quatro na defesa.

Nas duas últimas partidas do Paulistão, Crespo mudou o time no intervalo e sacou um zagueiro, passando a ter dois laterais e dois defensores centrais. Contra o Santos, o time fez quatro gols no segundo tempo, com uma mudança significativa de postura. Já contra o Novorizontino, o Tricolor até buscou o empate no início da etapa final, mas voltou a ceder um gol e foi derrotado.

No Defensa y Justicia, Crespo já demonstrou ser um técnico flexível, que monta o time de acordo com o contexto do jogo e as características do adversário. A estratégia é distinta da utilizada pelo São Paulo na última temporada, já que Fernando Diniz acreditava na manutenção de uma equipe titular em todos os confrontos.

Gazeta Esportiva