Bem vindo Miranda

Miranda foi, na minha visão, um dos 10 maiores zagueiros que jogaram pelo São Paulo, e para mim, um dos 3 melhores que vi em campo, ao lado de Ricardo Rocha, para mim o melhor e Márcio Santos, que coloco em 2o na minha preferência.

E lembrando, que ele chegou ao São Paulo, quieto, calmo, até meio tímido para substituir ninguém menos que Lugano. Por mais que Miranda, tecnicamente, fosse muito superior ao Lugano, a entrega, a raça e a identificação do uruguaio com a torcida não seria uma missão fácil, mas a qualidade de Miranda fez isso ficar fácil. Se perguntar hoje, para qualquer são paulino quem é melhor, entre os dois, Miranda vence, mas quem é mais ídolo Lugano dispara na frente.

Primeira passagem pelo São Paulo

Em 2006, Miranda estava insatisfeito e saiu do futebol francês. Seu destino era o Inter de Porto Alegre, mas ao parar em São Paulo, Milton Cruz, do São Paulo, que já monitorava a situação do zagueiro, soube e correu para convencer o zagueiro a nem ir para Porto Alegre. Deu certo, em Agosto de 2006, logo depois da despedida de Lugano, o São Paulo trazia o zagueiro.

Partiu Europa

Em Janeiro de 2011, Miranda assinou com o Atlético de Madrid e voltou para o futebol europeu em Junho do mesmo ano, logo nos primeiros jogos, ele marcou um gol que deu o título do Atlético frente ao poderoso Real Madrid na Copa do Rei.

Cerca de 4 anos depois de uma passagem pelo Atlético em que ele se destacava marcando ninguém menos que Lionel Messi, com muita classe e categoria, ele foi vendido para a Inter de Milão, depois de ser um dos destaques da seleção brasileira na Copa América de 2015.

Copa do Mundo 2018

Miranda foi titular de Tite na última Copa do Mundo. Sua carreira na seleção começou em 2007, sendo titular ao lado de Thiago Silva. Em 2009, o zagueiro voltou a ser convocado assim como em 2013. A imprensa especulava ser nome certo na Copa do Mundo de 2014, mas Felipão optou por outros zagueiros, como o “craque Dante” que sumiu depois da Copa, Miranda, assim como nós, viu a Copa de 2014, em sua casa.

Com Dunga, Miranda voltou a ser convocado e com a efetivação de Tite isso se tornou frequente, a ponto de Miranda ser o titular da Copa do Mundo em 2018 e depois da Copa América em 2019. A chance de Tite convocar o zagueiro para a Copa do Mundo de 2022, vai depender muito da sua atuação no São Paulo a partir de agora.

A volta para o São Paulo

O zagueiro de 36 anos de idade acertou contrato até o fim de 2022 e volta ao clube que defendeu entre 2006 e 2011, depois de rescindir com o Jiagsu Sunning, da China. Miranda chegou a conversar com o Coritiba, time que iniciou sua carreira profissional em 2004 e jogou até 2005, quando foi vendido ao Sochaux da França.

Com isso, o São Paulo volta a ter, potencialmente, um paredão como foi no tri brasileiro, época em que Miranda era titular absoluto da nossa defesa ao lado de Breno, Alex Dias, André Dias e Fabão (dependendo do ano, claro). Miranda era, disparado o melhor da nossa defesa essa época.

Miranda chega junto com outros reforços para o São Paulo, que além do técnico Crespo, trouxe as contratações do atacante Bruno Rodrigues, ex-Ponte Preta, que já tem entrado nos jogos pelo Campeonato Paulista e do lateral direito Orejuella.

E como ficará?

Eu sou fã confesso do 3-5-2 e não há como negar que o São Paulo é o time que melhor joga nesse sistema, talvez, na América do Sul. Podem dizer que o esquema é ultrapassado, mas apenas para dizer aos “especialistas de Twitter” que em 1986, os “Menudos do Morumbi” jogavam no “moderníssimo” 4-3-3 aplicado no futebol moderno de hoje, com Muller, Careca e Sidney no comando, ou seja, dois pontas velozes e um centroavante matador, exatamente, como os técnicos brasileiros pregam hoje no futebol moderno, então, antes de falar sobre o “esquema 3-5-2 ser ultrapassado” estude um pouco a história do São Paulo para ver que os últimos títulos importantes foram nesse esquema:
– Paulista 2005
– Libertadores 2005
– Mundial 2005
– Brasileiro 2006, 2007, 2008

Miranda é titular nesse time.
Isso é fato.

Para mim, Crespo deve entrar com o esquema da seguinte forma:
Volpi

Arboleda, Miranda eBruno Alves

Orejuela, Luan, Wellington

Daniel Alves e Benítez (Igor Gomes ou Sara)

Luciano e Eder (Rojas)

No papel, o time está ótimo, mas já vimos outros times que no papel eram tão bons quanto, ou até melhores, mas que no final não deram em nada. Por hora, Crespo vai bem e dando esperanças ao time do São Paulo.