O São Paulo é conhecido por ter uma das melhores categorias de base do futebol brasileiro. Do CT Laudo Natel, em Cotia, na Grande São Paulo, surgiram talentos como Lucas, Anthony, Gabriel Sara e Igor Gomes.

Um dos responsáveis por esse sucesso foi Rodolfo Canavesi, que desempenhou a função de gerente das categorias de base do São Paulo entre 2015 e 2017. Sob seu comando, o clube conseguiu resultados expressivos na base. Em 2016, foram 12 conquistas, entre elas, a Taça Libertadores da América Sub-20, o Campeonato Paulista Sub-17 e a Copa Brasil Sub-15.

Além dos títulos, durante sua gestão, a base também revelou alguns jogadores para o time profissional, como David Neres e Luiz Araújo. O primeiro disputou apenas oito partidas e foi negociado com o Ajax por R$ 50 milhões. Já o segundo teve ótimos momentos no primeiro semestre e acabou vendido para o Lille, rendendo R$ 30 milhões ao Tricolor.

Canavesi falou com exclusividade ao LANCE! sobre o sucesso das categorias inferiores do São Paulo e exemplificou pilares do sucesso para a revelação de grandes jogadores. 

– Na minha opinião, o sucesso do São Paulo é um trabalho que vem sendo bem executado por muitos anos. Alguns pilares importantes deste sucesso são: uma das melhores infra estruturas do mundo para o desenvolvimento de atletas de base. Aliado a isto, uma saudável continuidade das profissionais da base, visando desenvolver e melhorar uma metodologia aplicada para o desenvolvimento dos futuros atletas do clube, junto com uma baixa perda  de atletas durante o período de formação – afirmou Canavesi. 

– Durante meu período de gestão na base do São Paulo, buscamos evoluir todos estes pontos citados. Diversas iniciativas foram encabeçadas no CT de Cotia desde um planejamento estratégico bem estruturado, detalhamento completo de processos, uma nova política de reestruturação salarial dos atletas de base, a transição, entre outros pontos. Tivemos promoção de clubes parceiros para empréstimos dos atletas, como aconteceu com o Luiz Araújo em seu empréstimo para o Novorizontino, antes de subir a equipe principal e ser vendido ao Lille – explicou. 

Para finalizar, Calavesi elogiou a base do São Paulo, que é conhecida por ganhar grandes competições. Ele também analisou a safra de jogadores utilizados pelo clube nas últimas temporadas.

– Esta gestão foi consolidada pela grande quantidade de atletas que subiram e sobem até hoje ao time principal, além de uma grande quantidade de títulos que consolidaram a marca do clube na formação de atletas de potencial. Na minha opinião, a base do São Paulo sempre será uma das pioneiras no desenvolvimento de jovens no país. A transição vem sendo feita acertadamente e que esta safra 1999/2000 sirva de modelo para futuros anos – finalizou.

Lance!