Dono da terceira melhor defesa do Brasileirão com 26 gols sofridos, o São Paulo variou bastante a formação da zaga ao longo de 2020. No jogo contra o Santos, hoje (10), às 16h (de Brasília), Fernando Diniz será novamente obrigado a mudar a escalação. Sem Bruno Alves, suspenso, ele não conseguirá formar a dupla ideal para o setor, que contaria também com a presença de Arboleda. Léo e Diego Costa disputam a posição para o duelo que ocorre no Morumbi.

Em 28 rodadas do campeonato nacional, o Tricolor paulista precisou utilizar quatro zagueiros diferentes e formou cinco combinações distintas. A mais eficiente é aquela formada por Bruno Alves e Arboleda. Os números ratificam o bom trabalho dos dois atletas mais experientes em campo, que chegaram a ser preteridos pelo treinador durante esta jornada, diga-se. Presentes em nove partidas como titulares, eles viram o time sofrer apenas quatro gols enquanto estiveram em campo, uma média de 0,44 por confronto. Com eles, o time conquistou sete vitórias, um empate e uma derrota.

Na última quarta-feira (6), a parceria foi desfeita porque, segundo o clube, Arboleda se queixou de desconforto muscular na última hora e ficou no banco de reservas — Diego Costa jogou em seu lugar e foi mal; Léo voltou para o campo após o intervalo. Hoje, seguirão afastados por causa da suspensão automática de Bruno Alves.

Embora Arboleda e Bruno Alves formem a melhor zaga do São Paulo nos números, esta não foi a dupla que mais jogou na atual edição do Campeonato Brasileiro. Hoje considerados reservas, Diego Costa e Léo estiveram em dez compromissos da equipe —a promoção da jovem dupla aconteceu num momento de ousadia de Diniz, que julgava que essa combinação melhoraria a saída de bola e, por consequência, a articulação ofensiva da equipe. Juntos, viram o time sofrer dez gols, uma média de um por partida. O aproveitamento também foi abaixo do esperado — eles somaram quatro vitórias, cinco empates e uma derrota.

A terceira dupla mais utilizada no Morumbi é formada por Bruno Alves e Diego Costa —que demorou um pouco a ceder lugar ao retorno de Arboleda. Eles estiveram em campo em sete partidas e viram a equipe ter a rede balançada em oito oportunidades, uma média de 1,14 gol sofrido por jogo. Em que pese o excesso de gols, a equipe obteve bons resultados no período. Foram cinco vitórias, um empate e uma derrota.

Nos outros dois jogos restantes, Fernando Diniz usou duas duplas distintas. Bruno Alves e Léo estiveram em campo no empate por 1 a 1 com o Vasco, no Morumbi. Arboleda e Léo atuaram no triunfo por 3 a 1 sobre o Bahia na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA). Para o jogo de hoje, Diniz ainda não se definiu sobre a formação da zaga. O técnico, no entanto, já sabe que contará com Arboleda entre os titulares.

UOL