Diniz procurou minimizar os tropeços recentes da equipe do São Paulo após a derrota no San-São. Desde a eliminação na semifinal da Copa do Brasil, para o Grêmio, em pleno Morumbi, o Tricolor não venceu mais e vê a vantagem na liderança do Campeonato Brasileiro diminuir a cada rodada. Mas, apesar do momento de pressão, o comandante são-paulino se esforça para blindar o elenco.

Pesa contra o São Paulo o fato de a derrota ter acontecido para o time reserva do Santos, que poupou todos os seus titulares já pensando no jogo de volta da semifinal da Libertadores, contra o Boca Juniors, na Vila Belmiro. E isso tudo na rodada seguinte à goleada para o Red Bull Bragantino por 4 a 2.

“É muito circunstancial, não podemos fazer julgamentos por causa de dois jogos. A partida de quarta-feira não tem nada a ver com a de hoje. Talvez tivemos a pior atuação sob meu comando na partida de quarta-feira. Hoje foi diferente, jogo difícil, Santos veio sem pressão nenhuma, esperando por uma bola, foi o que aconteceu. Jogando atrás, favorece muito quem está se defendendo. Somado a isso, tivemos um primeiro tempo mais moroso do que deveria. No segundo tempo identificamos o problema, melhoramos a intensidade do jogo, mas tomamos o gol no primeiro minuto do segundo tempo. O time foi mais agressivo, criou oportunidades, mas não conseguiu reverter. Temos que melhorar e voltar a vencer”, prosseguiu Diniz.

saopaulo.blog