O São Paulo teve no último domingo (13) a sua série invicta quebrada pelo rival Corinthians, em um jogo no qual o time teve uma atuação muito abaixo do que havia feito em outros jogos que o haviam levado à liderança do Campeonato Brasileiro, além do fato de perder o atacante Luciano para o jogo com o Atlético-MG, quando Fernando Diniz escalou Tchê Tchê e conseguiu a retomada vencendo um adversário direto na disputa do título.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte — com os jornalistas Vinicius Mesquita, José Trajano e Renato Maurício Prado —, Alícia Klein afirma que o São Paulo conseguiu retomar o bom futebol e Fernando Diniz a sua credibilidade junto ao torcedor ao demonstrar uma variação tática que surpreendeu o técnico Jorge Sampaoli e foi fundamental para vencer a partida.

“Eu acho que o Diniz saiu desse jogo com o Corinthians muito enfraquecido e hoje talvez a escalação do Tchê Tchê tenha recuperado a credibilidade não só no futebol do São Paulo mas na capacidade do Fernando Diniz, porque eu acho que contra o Corinthians a sensação que eu fiquei um pouco foi que ele só tem um esquema de jogo, não tem estratégia, não tem adaptação e isso de que ele deu uma de Sampaoli, de jogar uma surpresa no final”, afirma Klein.

“Saiu mal do jogo com o Corinthians, não por perder o clássico, mas por perder da maneira como perdeu, jogando mal com o Diniz escalando mal o time, o Pablo muito mal. E as conversas que eu estava vendo de torcedores, todo mundo pedindo o Vitor Bueno e de repente ele entrou com o Tchê Tchê e o time entrou muito leve, o meio-campo muito rápido, e dominou completamente a partida, então eu acho que essa foi pra mim a grande diferença”, completa.

Embora ainda considere o Flamengo na briga pelo título brasileiro e como principal concorrente do São Paulo devido ao elenco que tem, a jornalista afirma que o São Paulo demonstrou consistência para disputar até o final e poder sair com o troféu com a variação de seu repertório.

“Continuo achando que o Flamengo está na briga, pelo fato de ter esses dois jogos a menos e o confronto direto, mas eu acho que o que o Diniz mostrou, essa capacidade de se reinventar e o futebol que o São Paulo jogou hoje, apesar de a expulsão ter facilitado o placar mais elástico, eu acho que o São Paulo se impôs e mostrou que agora que está na posição de líder, agora fica mais difícil segurar”, analisa.

“Acho que o São Paulo mostrou que consegue assumir essa postura de disputar o título agora com essa vitória muito significativa em cima do Atlético-MG e em cima do Sampaoli, que é considerado um dos melhores técnicos, e o Diniz deu um nó nele e acho que o São Paulo deixou uma marca muito importante nessa briga pelo título”, conclui.

UOL