Com a eleição de Julio Casares, confirmada no último sábado, o São Paulo terá um cargo de sua próxima diretoria para Muricy Ramalho. Nesta segunda-feira, o ex-treinador e ídolo tricolor falou sobre suas motivações para aceitar a proposta do novo presidente e voltar ao clube no qual fez história.

Convidado do programa Bem Amigos!, do SporTV, do qual era comentarista, Muricy confirmou que vai assumir uma função nova no clube, que é diferente da de Executivo de Futebol, que hoje é ocupada por Raí.

“O que me fez voltar foi o clube, junto com a proposta que foi muito bem feita. Eu não vou tomar lugar de ninguém. É um posto que não tem. É um convite difícil de você falar ‘não’, ainda mais em todos esses anos, que o São Paulo precisa de alguém nesse setor com um pouco de experiência”, iniciou.

Na sequência, Muricy destacou que a autonomia para tomar decisões foi um fato importante para aceitar a proposta. O futuro dirigente são-paulino também detalhou quais serão as suas tarefas no clube e os projetos que pretende implementar.

“Vou ter autonomia. O mais importante que acho que vou fazer é esse meio-campo entre comissão técnica, jogadores e dirigentes. Outra coisa fundamental são as contratações. Porque os jogadores são muito caros e não dá para errar tanto. São coisas que precisam de profissionais para atender isso. E também aproximar Cotia da Barra Funda. Claro que o São Paulo já tem uma rotina de trabalho, mas a gente vai se aproximar mais ainda. Quero também fazer o que o Telê Santana fez comigo, de fazer um treinador em casa. Para quando um treinador sair, não ser pego de surpresa e ter alguém do clube. São coisas que vou ter autonomia e estou feliz. Estou voltando para a minha casa também”, declarou.

Muricy também revelou que vai pedir uma cláusula em seu contrato que impeça que ele assuma a função de treinador. O futuro dirigente salientou o projeto de formar um técnico em casa para evitar que seu nome seja especulado nesses casos.

“Não assinei contrato porque a gente depende da eleição e tem gente trabalhando, mas vou colocar essa cláusula para não ter dúvida. Futebol é muito sensível. Eu não estou mais nessa e não quero mais saber (de ser treinador). Quero colocar no contrato, porque senão fica aquela coisa de chamar o Muricy. Por isso eu quero um projeto de preparar um treinador da casa”, destacou.

No último domingo, em entrevista exclusiva para o Mesa Redonda, da TV Gazeta, o novo presidente são-paulino, Julio Casares, confirmou que Muricy Ramalho vai assumir o cargo de Coordenador de Futebol.

O ex-treinador volta ao futebol depois de quatro anos de trabalho como comentarista. No comando técnico do Tricolor Paulista, Muricy conquistou três Campeonatos Brasileiros de maneira consecutiva, em 2006, 2007 e 2008, um feito inédito no país.

Gazeta Esportiva