Eleito o novo presidente do Conselho Deliberativo do São Paulo no último sábado, Olten Ayres de Abreu Jr já implementou uma das prioridades da sua gestão: transmitir as reuniões dos conselheiros para toda a torcida tricolor, uma forma de simbolizar a intenção de tornar o clube mais transparente para quem o acompanha de perto e torce pelo seu sucesso. O encontro desta quinta-feira, o primeiro dele no cargo, inclusive, já será transmitido para quem tiver interesse, provavelmente na TV oficial do clube.

“Na nossa opinião existem várias coisas que são importantes, mas, se eu pudesse pegar apenas dois pontos, que acho que são ultra prioritários, escolheria implantar um sistema de transparência absoluta nas reuniões do Conselho, quando os assuntos não forem confidenciais, é claro, para que que toda a comunidade tricolor seja comunicada, até para mostrar nossa vontade de ouvir e dividir sugestões de todo torcedor são-paulino”, afirmou Olten Ayres de Abreu Jr em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

O sistema de governança do São Paulo também vem sendo observado com carinho pelo novo presidente do Conselho Deliberativo, que crê na necessidade de estabelecer alguns pontos na maneira como o clube é gerido atualmente, uma vez que as demandas de hoje são bem diferentes das demandas de décadas passadas.

“Outro ponto prioritário é uma análise sistemática da legitimidade de todo o poder do São Paulo Futebol Clube. Precisamos estabelecer de forma clara como nós pretendemos manter nosso sistema político e de governança. O São Paulo tem um sistema híbrido, ao mesmo tempo que tem um sistema associativo também tem uma atividade empresarial. Essa relação híbrida não está muito clara como deve ser definida. No passado éramos uma associação, o futebol era menos profissional. Hoje a profissionalização é um tema importante que, sem o qual não iremos continuar sobrevivendo nos próximos anos. Isso faz parte inclusive do programa apresentado pelo nosso futuro presidente Julio Casares, que tenho total concordância”, completou.

Abaixo, você confere a entrevista de Olten Ayres de Abreu Jr na íntegra:

Ofícios do presidente do Conselho Deliberativo

O presidente do Conselho não aprova nem reprova nada, o presidente do Conselho submete qualquer tipo de votação ao conselho como um todo. Se alguém reprovar algum fato, será o Conselho como um todo. Ao presidente do Conselho Deliberativo cabe exclusivamente encaminhar os trabalhos. Essa autonomia e independência que sempre foi colocada é autonomia do Conselho como um todo. Qualquer tema pertinente trazido por algum conselheiro ou sócio, será debatido, discutido e votado dentro do Conselho.

Independência da gestão de Casares

Tenho uma relação muito boa com o Julio Casares, mas tenho uma relação histórica com o São Paulo. Essa relação história com o São Paulo não irá superar qualquer tipo de necessidade que o São Paulo venha a ter. Estamos aqui para ter uma gestão que seja aliada do São Paulo FC. Não somos aliados de pessoas, obviamente sem perder a amizade, a relação pessoal, porque num mundo civilizado as pessoas se relacionam humanamente também. Todos os temas serão debatidos.

Promessas de conselheiros nas eleições

O conselheiro pode e dever discutir, debater e oferecer à comunidade tricolor soluções a problemas que há. Como qualquer força política, ele tem a possibilidade de reclamar, de levar às outras áreas do clube as reclamações e tentar politicamente articular que aquele tipo de reclamação seja solucionado pelo São Paulo. O conselheiro pode discutir temas dos quais ele não tenha possibilidade de fazer sozinho. Não é prometer coisas que não se pode fazer, é apenas sugerir que trabalhem em cima de coisas que se pode fazer.

Qualificação dos conselheiros

O conselheiro do São Paulo está muito bem preparado para essas discussões. Acredito que as discussões deverão melhorar muito com essas transmissões ao vivo. Os conselheiros terão mais esmero na condução das reuniões, e a nossa comunidade terá a oportunidade de ter acesso ao valor do conselheiro, pessoal de notável conhecimento na sociedade civil, notável conhecimento esportivo. Temos dirigentes que foram campeões, como o [ex-presidente] José Mesquita Pimenta, bicampeão mundial [em 1992 e 1993], teve uma gestão ultra vitoriosa. Acho que a comunidade são-paulina vai saber reconhecer com essas transmissões a qualidade do Conselho.

Mimos da presidência a conselheiros

Eu sempre fui oposição ao Leco desde o momento delta zero até os dias de hoje. Nunca deixei de me opor a ele, não como pessoa, mas à gestão dele. Essa prática de você atrelar algum tipo de favor em troca de apoio político, eu sou contra. O que não acredito é que algum conselheiro que possa eventualmente ter acompanhado a delegação em uma viagem possa ter feito algum tipo de troca por causa de uma viagem. É função do conselheiro saber como andam as coisas do futebol, conviver no dia a dia do futebol é uma das formas de se avaliar como as coisas estão acontecendo dentro do futebol. Preciso ver se isso foi feito como favor político. Se isso foi feito de forma institucional, para que o conselheiro possa avaliar como anda o futebol, não há problema.

Recado ao torcedor

Eu diria pra você que a nossa gestão, e não é só minha, vai se basear na transparência total, na autonomia e independência, mas sem menosprezar governança. Não podemos tirar governança do São Paulo. Não podemos concordar com tudo, mas não podemos se opor simplesmente por se opor. O terceiro ponto é levar a votação todos os temas que nos forem propostos. Não pretendemos colocar na gaveta de uma mesa qualquer tipo de situação. Costumo brincar que minhas mesas não têm gaveta, porque, se eu deixar de fazer algo, a pilha de papel vai aumentar na minha frente.

Gazeta Esportiva