Titular absoluto nos últimos jogos, Luan vem se consolidando cada vez mais como uma peça importante do time comandado por Fernando Diniz. Desde que passou a ser uma das primeiras escolhas do treinador, o volante não perdeu um jogo sequer dentro de campo no Campeonato Brasileiro, figurando como o único atleta do elenco do São Paulo invicto até agora.

Em 16 jogos no Campeonato Brasileiro, Luan soma 13 vitórias e quatro empates. Além dele, Tréllez, Rodrigo Nestor e Galeano também não perderam estando em campo, porém, disputaram apenas quatro, três e uma partida, respectivamente.

“Estamos vivendo um grande momento e esperamos manter essa sequência positiva até o final do Brasileiro. Nosso elenco é muito forte e vem demostrando isso com boas atuações, tanto na parte defensiva como no ataque. Não chegamos à liderança por acaso e temos que manter os pés no chão. Sabemos que tem muito campeonato pela frente e vamos continuar pensando em um jogo de cada vez. O foco agora é em fazer uma grande partida contra o Botafogo”, afirmou Luan.

Iniciando a temporada como reserva da equipe, o volante teve de suar a camisa para convencer Fernando Diniz de que tinha condições de voltar à titularidade. Depois dos fracassos da equipe contra o Mirassol, no Campeonato Paulista, e na Libertadores, sendo eliminada na primeira fase, Luan, enfim, recebeu uma oportunidade contra o Atlético-GO, na 14ª rodada do Brasileirão, e, de lá para cá, não saiu mais do time.

“Fiquei um bom tempo sem jogar, mas segui treinando forte e esperando minha oportunidade. Ela chegou e estou dando o meu máximo para aproveitar da melhor maneira possível. Fico feliz por estar contribuindo com o São Paulo. Praticamente passei metade da minha vida aqui e tenho um enorme carinho pelo clube. Tenho o sonho de ganhar títulos com essa camisa e seguirei focado para continuar evoluindo e ajudando a equipe”, comentou Luan.

Nesta quarta-feira, contra o Botafogo, no Morumbi, às 21h30 (de Brasília), o volante deverá ser titular mais uma vez. Pendurado, ele terá de se policiar para não receber um cartão amarelo que o faça ficar de fora do clássico de domingo contra o Corinthians, em Itaquera.

Gazeta Esportiva