Candidato ao cargo de mandatário do São Paulo, Roberto Natel recebeu 2.118 ingressos durante a sua passagem como vice-presidente da gestão de Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, a quem se declara como oposição desde os primeiros dias de gestão.

As entradas são referentes a jogos do clube, eventos esportivos e apresentações musicais entre 2017 e 2020. A entrega de bilhetes para os ocorridos no Morumbi é considerada normal — cada conselheiro costuma ter direito a dois ingressos por evento. Neste caso, o volume é visto como elevado.

Procurado para falar sobre o assunto pela reportagem, o concorrente à presidência alegou que repassou os bilhetes a diretores, conselheiros, sócios, funcionários, autoridades e até jornalistas.

“Imagina se eu, Roberto, recebo uma quantidade de ingressos absurda que você está falando. Eu recebo pedidos e entrego para as pessoas, assessores que ajudam o São Paulo, adjuntos que ajudam o São Paulo. Quanto o São Paulo economiza com essas coisas? São ingressos de cortesias que são repassados a assessores, autoridades, jornalistas, conselheiros, sócios… Tudo o que é dado ali é com critério, sempre transparente, dei para conselheiros da oposição, da situação, jornalistas, autoridades, funcionários do clube, sempre ajudei todo mundo. Na minha vida, as coisas são transparentes”, afirmou Natel ao UOL Esporte.

O documento obtido pela reportagem aponta que Roberto Natel recebeu 1.518 entradas de eventos no clube. Ao todo, de acordo com a planilha para controle interno do São Paulo, foram 175 entradas para o Villa Mix, 879 para os quatro dias de shows do U2, 375 para as duas apresentações de Bruno Mars, 65 para um evento com o Iron Maiden, 20 para o jogo de rúgbi entre Brasil e Barbarians e outras quatro para o duelo do mesmo esporte, entre Brasil e Nova Zelândia.

Roberto Natel nega que tenha solicitado ingressos nos jogos de rúgbi no Morumbi. Contudo, confirma os pedidos feitos em outros eventos no local. “Eu não recebi de rúgbi, não peguei nada. Mas divida por quantos shows tiveram lá de 2017 a 2020. Shows, eu recebia, fazia um local para atender assessores, adjuntos, imprensa, autoridades, conselheiros… Eu recebi 879 em quatro shows, divida por quatro shows. Divida por três pessoas. São 300 assessores vezes três ingressos. Quanto dá? São 900. Se eu der dois ingressos para cada assessor, dá 600 ingressos. Eu estou ali para atender as pessoas que ajudam no dia a dia do São Paulo”, comentou.

“Recebo ingressos para ver como são os shows, recebo pedido de jornalistas, de gerentes de bancos que atendem ao São Paulo. É para isso que uso os ingressos, não é para o Roberto Natel atender a ele mesmo. O Roberto atende às pessoas que atendem ao São Paulo Futebol Clube. Se você [repórter] me pedisse ingresso, você pegaria na presidência e estaria lá o protocolo.

Se algum ingresso fosse parar na mão de cambista, eu pegava esse número de protocolo e ia para cima da pessoa. Eu fazia com critério e responsabilidade. Eu privilegiei todo mundo, sem exceção, cara. É só fazer as contas simples de quantas pessoas a gente tem de pedido em jogo. Não era o Roberto Natel que recebia os ingressos, era o vice-presidente que atendia a pedidos de assessores, adjuntos, de quase todos os candidatos do Julio Casares que são meus amigos.”

Roberto Natel volta a se justificar e explica que não há erro em solicitar ingressos no São Paulo. O candidato alega ter sido o responsável pelos eventos ocorridos no Morumbi e explica também que valorizou o faturamento do clube com o aluguel do espaço para recepções fora do futebol.

“Fui eu que fechei todos os shows. Eu passei shows de R$ 300 mil para R$ 1,2 milhão. Em todos os pacotes, tinha ingressos para o São Paulo atender a jogadores, familiares de jogadores, autoridades, imprensa… Todas as minhas doações são com critério. Eu assinava, o presidente autorizava. Eu não tenho preocupação quanto a isso. Se você ligar para qualquer conselheiro, vai escutar que o Roberto atendeu a ele. Não vejo nada demais, não sei o que tem nisso. Se você fizer as contas, como estou falando para você, pegue quatro shows, divida ingressos para esposa, filho… Eu estou tranquilo quanto a isso, está tudo transparente lá”, comentou.

Os ingressos solicitados por Roberto Natel não se limitaram aos eventos fora do futebol. O vice-presidente recebeu também entradas para jogos da equipe em torneios variados. Ao todo, a lista mostra 30 partidas com a distribuição de 20 bilhetes por duelo. “Quando eu pedia os ingressos, eu pedia para entregar para quem me solicitava. Não era todo jogo não, vai atrás. Eu recebia 12 ingressos todo jogo, eu acho. Eu atendia às pessoas, não a todos. Eu sou vice-presidente do São Paulo. Quantos pedidos você acha que eu tenho? O dia que você [repórter] me pedir, acha que vou negar? Eu não vou negar. Você é um setorista do São Paulo. É normal dar essas cortesias às pessoas como um bom gestor do clube”, concluiu. Os bilhetes em nome do dirigente estão estimados em R$ 1.642.420,00. O valor, levantado internamente no clube, considera o tíquete médio de cada evento ocorrido no Morumbi e cada partida de futebol da equipe.”

UOL

Roberto Natel