São Paulo abriu mão de seu estilo de jogo neste domingo para tentar buscar a vitória a qualquer custo. Embora seja um time que se caracterize pela posse de bola, cadência, em busca de espaços para chegar ao gol, o Tricolor realizou nada mais, nada menos que 44 cruzamentos contra o Coritiba, acertando apenas sete, na intenção de balançar as redes do goleiro Wilson.

Com 76% de posse de bola, o São Paulo passou praticamente o jogo inteiro no campo ofensivo, enquanto o Coritiba se armava para aproveitar um contra-ataque. Diante da forte retranca dos donos da casa, o Tricolor trabalhava a bola, mas não chegava a lugar algum, já que para os cruzamentos servirem de válvula de escape era preciso uma maior eficiência por parte de quem estava alçando essas bolas na área.

“Como o Coritiba fez o gol muito cedo e fechou muito a entrada da área, o que sobrou para a gente foram as jogadas pelos lados. Os dois gols anulados saíram pelos lados. Mas, é normal que, quando o time desce muito as linhas de marcação, o jogo fique mais pelos lados mesmo. Era o caminho que tínhamos para jogar. Se insistíssemos por dentro, correríamos o risco de tomar contra-ataque”, comentou Diniz.

Gazeta Esportiva