O Juventude realizou recentemente uma negociação que proporcionou a dois jovens jogadores do Juventude um período de empréstimo no São Paulo. Foi através da vinda do centroavante Gabriel Novaes para o Estádio Alfredo Jaconi, para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B, que o jovem volante Matheus Galo, de 16 anos, ganhou uma oportunidade na base do Tricolor Paulista — além dele, Rafinha, de 17 anos, também foi cedido pela equipe alviverde.

A primeira experiência no Juventude, no entanto, foi marcada por uma pausa de quase um ano entre a vinda inicial e a vez em que se firmou nas equipes de base. Natural de Santa Cruz do Sul, Matheus quase não ficou no Estádio Alfredo Jaconi.

— Cheguei no Juventude no meio de 2017. Foi uma pessoa do Inter e do Juventude olhar um jogo nosso lá em Pantano Grande, quando eu jogava no Genoma Santa Cruz. Disseram para eu vir fazer um teste no Ju e fui aprovado. Vim para jogar o Efipan, mas estava com um problema no joelho, fui mal nos treinos e mandaram eu ir fazer o tratamento em Santa Cruz e não fui para o campeonato. Voltei no meio de 2018 e foi quando comecei mesmo a jogar — relembra o jovem, que na sua chegada ao clube, logo mudou de função em campo:

— Sempre joguei de meia. Aqui no Juventude, os treinadores começaram a me recuar para volante porque eu tinha boa visão de jogo e bom passe. 

Com 16 anos completos no dia 5 de julho, Matheus ainda tem uma longa jornada até chegar ao profissional. Para que a transação com o São Paulo pudesse acontecer, assinou seu primeiro contrato profissional com a equipe alviverde. Com o time do Morumbi, seu vínculo é de um ano, com possibilidade de compra ao final do período de empréstimo. Depois da batalha para conseguir se firmar no Papo, a chance no clube paulista foi uma recompensa para o esforço do voltante.

— Fiquei muito feliz (com a negociação). Sempre batalhei, sempre busquei meu espaço, me dediquei nos treinos e jogos para isso acontecer. Espero uma carreira vitoriosa. Que eu consiga alcançar meus objetivos e abraçar essa chance que estou recebendo, para fazer valer a pena — afirmou.

Por conta da covid-19, o São Paulo está fazendo adaptações nos alojamentos da categoria de base, na cidade de Cotia, o que ocasionou que a mudança não tenha se efetivado. De lá, muitos jogadores que conseguiram sucesso com a camisa tricolor deram seus primeiros passos no clube até chegar ao futebol europeu e à Seleção Brasileira. Ainda é muito cedo para saber se Matheus Galo chegará lá. Do Juventude, com quem tem vínculo, fica também a expectativa de quem sequer chegou a atuar no time de cima e já deixou, pelo menos temporariamente, o Jaconi.

— É uma pena eu não ter jogado no profissional. Mas quem sabe um dia eu volte para receber todo o carinho dessa torcida e fazer um grande ano pelo Juventude — concluiu o volante.

CLick RBS