Newton Luiz Ferreira, conhecido como Newton do Chapéu, perdeu em mais uma instância uma guerra que trava na Justiça para anular o mandato de conselheiros vitalícios do São Paulo. O oposicionista ainda ficou responsável por 20% do valor da causa segundo a decisão da 6ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

A ação ajuizada por Newton Luiz Ferreira pedia a exclusão dos conselheiros vitalícios que foram eleitos a partir do dia 9 de agosto de 2004 de todas as reuniões do Conselho Deliberativo, incluindo a reunião extraordinária para eleição da diretoria feita em 2017. Em contato com o blog, Newton disse que não vai recorrer e minimizou o prejuízo que terá pela derrota na Justiça.

“Teria recursos para retornar ao STF, mas não irei recorrer, conforme eu disse anteriormente. O São Paulo precisa voltar a ser um clube de direito, visto que de fato já o é. Está é minha contribuição para o resgate do Tricolor. O valor da causa é de R$ 1 mil, então pagarei R$ 200,00 reais de sucumbência”, afirmou.

De acordo com os fundamentos da decisão, os associados são soberanos para aceitar todas as alterações e atos praticados anteriormente pelos membros do Conselho Deliberativo, e, inexistindo decisão judicial que as tenha declarado nulas, não havia como impedir a participação de Conselheiros legitimamente eleitos em qualquer reunião do Conselho Deliberativo.

UOL