Neste domingo, o candidato à presidência do São Paulo Júlio Casares foi o convidado especial do programa Mesa Redonda, da TV Gazeta. O atual conselheiro do Tricolor deu detalhes sobre o seu plano de governo e respondeu perguntas sobre a delicada situação financeira na qual se encontra o clube do Morumbi.

Na visão de Casares, a principal medida que precisa ser tomada para que o São Paulo consiga equilibrar as contas é a austeridade fiscal, depois de uma investigação profunda das origens das dívidas do clube. O candidato também garante que buscará renegociar pagamentos, permitindo que o Tricolor respire financeiramente.

“O volume da dívida é muito alto. Ele é preocupante, mas não assusta. O São paulo terá que primar por responsabilidade financeira, austeridade pesada, diminuição de estrutura. Precisamos fazer uma radiografia dessa dívida, entender como ela foi composta. Depois, discutir com credores um alongamento desse perfil. Nós temos compromisso de curtíssimo prazo, que nos preocupa, mas também de curto, médio e longo prazo. Portanto, nós vamos estabelecer um comitê financeiro com técnicos e com um profissional remunerado, que venha do mercado”, afirmou Casares.

“O São Paulo sempre honrou compromissos e vai honrar, seja com quem for. Nós vamos discutir um alongamento para que consigamos um oxigênio de custeio no dia a dia. O São Paulo precisa manter um time competitivo, tem folha de pagamento, tem obrigações. Portanto, nós vamos colocar aos credores que está surgindo um São Paulo diferente, com credibilidade no mercado”, completou.

Para evitar que o São Paulo veja as dívidas aumentarem, Casares propõe que haja um departamento especializado na análise de contratações de atletas de uma maneira mais aprofundada. O principal objetivo é não firmar vínculos que possam ser nocivos aos cofres do clube.

“Nós teremos um executivo de futebol que não vai simplesmente trazer um jogador. O treinador vai dizer: ‘Essa posição tem carência’. Esse nome vem para uma avaliação rápida, que fará a seguinte questão: ‘É para compor elenco? Usa da base. Não é? Vamos procurar no mercado’”, disse Casares.

“Terá uma comissão avançada de futebol que, auxiliada por dados e inteligência, poderá avaliar a condição fisiológica, a idade – para ver qual o período de contrato ele terá no São Paulo para agregar a questão financeira e esportiva, e uma avaliação do que ele vai compor no orçamento do São Paulo. Você não pode trazer um jogador impagável sem uma contrapartida de marketing”, finalizou.

Gazeta Esportiva