Cada vez mais este conceito de situação e oposição se tornou algo ridículo nas eleições do São Paulo. Além de já falarmos aqui constantemente e o próprio Julio Casares já ter declarado isso de forma explícita em entrevistas, dia após dia vemos que discursos como “oposição”, “continuísmo” são pura demagogia.

Somente em se tratando de ex diretores de futebol do Leco, temos 6 ao lado da “oposição”:

  • MAC
  • Vinícius Pinotti
  • Luiz Cunha
  • Médicis
  • Jacobson
  • Rubens Moreno

Ainda temos Ferreira Alves que o Blog estarreceu a todos ao anunciar que ainda ocupava um cargo do qual ele mesmo afirmou não atuar desde 2017 e que houvera um “esquecimento” para a retirada de seu nome dos gestores do clube e que ele mesmo faria uma “ratificação” para confirmar sua saída, se desvinculando da gestão Leco. O Blog apurou que nada mudou ainda.

ATUALIZAÇÃO: Ferreira Alves procurou o Blog e conferiu um documento do clube informando sua saída e oficialização, desvinculando sua atuação no período. Esclarecimento necessário e efetuado em carta oficial de Leco.

Dos nomes acima, Jacobson ainda atua na gestão Leco na área de Lugano mais focado no poder público.

Rafael Palma é Diretor do estádio, ainda na gestão Leco e está na oposição.

Natel é Vice Presidente do clube e esteve nas duas eleições de Leco ao seu lado.

Homero Bellintani está na mesa Diretora do Conselho Deliberativo e também se coloca como oposição.

Rodrigo Gaspar, ex Diretor Administrativo que era oposição e trabalhou com Leco por quase 3 anos e agora voltou a ser oposição. É o famoso do caso “jogador de condomínio”.

Há ainda o Canassa, Diretor de Cotia e que ainda integra a gestão Leco e está com a oposição.

Como podemos ver, mesmo em um retrato superficial, já entendemos que opositor e continuísmo são palavras que faladas soam como poeiras ao vento já que não tem quem se salve (raríssimas exceções) de dizer que colocou Leco no poder ou participou de sua gestão, aproveitou cargos e deu sua contribuição para o catastrófico desfecho que vemos hoje sem títulos e com R$ 580 milhões de dívidas até 30/05/2020.

Blog do São Paulo

Acerto aconteceu após reunião entre Marco Aurélio Cunha e Leco