Retorno do futebol Ainda em sua participação na atração, Diniz opinou sobre o retorno do futebol. O treinador acredita que as autoridades devem ser ouvidas. “Acredito que a gente tem que respeitar as autoridades, mesmo que os governos estejam agindo de maneiras diferentes. É um momento de preservação da vida. A gente não tem que colocar o futebol acima da vida de ninguém. O futebol está bem abaixo disso. A gente tem que ter cuidado agora. Como a gente tem mais dúvida que certeza, é um tempo de ponderação. Eu sou muito atirado em muitas áreas da minha vida, mas nesse momento as variáveis são conflitantes e temos mais dúvidas que certezas. Acho que a atitude tomada em São Paulo foi correta”.

Para Fernando Diniz, será essencial que seu elenco tenha no mínimo 30 dias de treino antes do retorno das competições. O treinador afirmou que esta deve ser uma briga da comunidade do futebol, pensando na saúde dos atletas.

“O que a gente tem que exigir a partir do dia 1º de julho é pelo menos um mês de treino. Os jogadores estão há 100 dias sem treinar. Não dá para marcar jogo com 15 dias de treino. A gente vai voltar com alguns protocolos. Se na Alemanha e na Inglaterra eles prepararam os jogadores por tanto tempo e a gente tem visto tantas lesões, imagina se fizermos isso com pressa. Temos que cobrar isso como comunidade do futebol”, completou.

UOL